Marcenaria

Tudo sobre marcenaria: os 5 processos mais importantes para a gestão

23/07/2018

Saber como lidar com o próprio negócio não é algo fácil. Tanto para marinheiros de primeira viagem quanto para quem já acumula anos de atividade, ser capaz de tomar conta de uma organização exige muito esforço e dedicação.

Sem experiência, empreendedores que estão chegando agora no mercado precisam da devida orientação para que não sofram tanto com as dificuldades que inevitavelmente se apresentam. Da mesma forma, o profissional mais experiente precisa estar sempre se atualizando, pois as práticas devem acompanhar a evolução dos tempos, e vivemos numa época em que a cada dia uma novidade surge.

Independentemente do perfil de quem administra uma marcenaria, existem inúmeras necessidades a serem contempladas e para dar conta de todas elas é preciso que o empreendedor tenha critérios. Entre elas podemos citar a compra de materiais, a realização de orçamentos, a organização dos departamentos, a captação de clientes, os investimentos em tecnologia, os contratos de marcenaria, entre outros.

Certamente não é pouca coisa. Sendo assim, sem ter a devida dimensão de como realizar os diferentes processos, adotar as técnicas que realmente podem fazer a diferença no negócio e saber quais são os investimentos certos, fica muito mais difícil fazer do negócio algo produtivo e assim ter resultados significativos com a atividade.

É por isso que preparamos o presente texto. Nossa ideia é ajudar você a lidar da maneira certa com a gestão da sua marcenaria, evitando problemas comuns e tendo condições para crescer mais em menos tempo, sempre de maneira estruturada. Ficou curioso? Quer saber mais sobre administração financeira, diferenciais competitivos, entre outros? Então não perca tempo e siga conosco para saber tudo sobre marcenaria. Acompanhe!

1. Comece pela administração financeira da marcenaria

Ter atenção à maneira como o dinheiro será administrado é fundamental. Quanto mais criteriosa for a sua relação com essa parte do negócio, maiores serão as suas chances de lucrar.

Nesse sentido, o ideal é começar organizando aquela que será a sua vida financeira. Isso pode ser feito quando você define a maneira como trabalhará com o fluxo de caixa. Usando planilhas, você já tem como controlar os diferentes valores que entram e saem dos cofres da empresa, já podendo fazer previsões em função dos resultados.

O controle do caixa pode ser feito de maneira extremamente simples, sendo necessário apenas que você tenha como acompanhar diariamente os valores de entrada e de saída de dinheiro e realizar uma análise mais detalhada desse fluxo para evitar ser surpreendido com as movimentações que costumam oscilar.

Se quiser ser ainda mais preciso nessa etapa — o que é recomendado — procure trabalhar com softwares de gestão que auxiliem no controle financeiro. Entre outros benefícios, eles serão úteis para informar antecipadamente a respeito daquilo que está para vencer e o que deverá entrar no caixa da sua empresa.

Pode não parecer tão importante em uma etapa inicial do negócio, entretanto, isso permite a você controlar de maneira mais qualificada a sua situação financeira, algo que traz benefícios significativos na hora de planejar o crescimento sustentável do seu negócio.

Além disso, tão importante quanto contar com ferramentas úteis para facilitar a gestão é se conscientizar de algo que, boa parte dos empreendedores brasileiros ainda não assimilou: suas despesas pessoais em nada tem a ver com as empresariais.

Confundir as duas coisas pode comprometer o desempenho da companhia e trazer prejuízos terríveis no futuro. Evite esse erro. É preciso determinar um valor para ser retirado mensalmente, criando aquilo que chamamos de pró-labore. Todo o restante deve ser reinvestido na própria empresa. Assim você evita gastar além de suas reais possibilidades e consegue estimular o crescimento da companhia.

Outra dica importante é estar sempre atento e evitar os gastos desnecessários. Principalmente se o seu negócio estiver dando lucro. É preciso que cada ação seja devidamente planejada, estratégica. Lembre-se que faturamento e lucro não são sinônimos, portanto, não é todo dinheiro que entra que serve para investimentos.

O faturamento é a arrecadação total do seu negócio, devendo ser grande o suficiente para dar conta dos tributos, dos investimentos, dos pagamentos de salários, entre outros gastos. O lucro, por sua vez, pode ser dividido entre bruto, que é o faturamento menos a soma de todos os custos variáveis do negócio, e o lucro líquido, que é o valor faturado menos os custos fixos e variáveis.

É por meio desse entendimento que o empreendedor tem como estimar seus lucros ou prejuízos e fazer as devidas projeções de crescimento para a empresa de maneira segura. Acostume-se a conferir com regularidade os relatórios de fluxo de caixa e demonstrativos de resultados da sua organização para chegar aos valores precisos.

Além disso, atualize constantemente os seus conhecimentos para lidar melhor com o seu negócio. Conheça técnicas de administração modernas, faça cursos, converse com outros profissionais de outras áreas e também da sua. Tudo isso pode aperfeiçoar a sua maneira de administrar a marcenaria e, consequentemente, trazer lucros maiores para o seu trabalho.

2. Organize a compra de materiais e estoque

Fazer uma boa gestão do estoque é um dos segredos do empreendedor de sucesso. Em atividades como a marcenaria, isso se torna ainda mais importante. Com o estoque bem organizado, você tem como ganhar mais dinheiro, pois, dessa forma, é possível evitar maiores gastos diante de compras de última hora (algo recorrente quando a organização não é o forte da marcenaria) e aumentar o retorno sobre os investimentos.

Outro benefício é poder garantir o devido controle da entrada e saída dos produtos e fazer com que as paradas sejam minimizadas ao longo do processo produtivo. Isso é importante, pois diminui a quantidade de atrasos nas entregas, reduzindo os motivos para que a clientela fique insatisfeita com o serviço apresentado.

É imprescindível ter o devido cuidado com o espaço para estoque e com aquilo que é armazenado nele para que a marcenaria passe a trazer resultados como empreendimento. O desafio então é dimensionar corretamente o estoque de acordo com as necessidades da empresa.

Para tanto, você deve se concentrar em algumas questões. A primeira é, evidentemente, a logística, pois o estoque depende dela para que você encontre soluções. Sua marcenaria está localizada perto de uma revenda? Então, neste caso, é possível retirar do estoque produtos que podem ser comprados de imediato diante da demanda.

Evite também as compras de ocasião, procurando estocar somente aquilo que, de fato, pode ser demanda para o seu negócio. Muitas vezes, você pode querer comprar com desconto, mas se esse gasto não for destinado a algo que será aproveitado no curto prazo, o pouco dinheiro gasto no ato da compra representará uma despesa a mais para o seu empreendimento.

A lógica é: tome cuidado para não manter itens por mais de 30 dias no seu estoque. Isso pode afetar a saúde financeira da sua empresa. É preciso se concentrar em compras que contemplem esse período com uma tolerância mínima, de acordo com a natureza do produto e a possibilidade de ele ser aproveitado.

Uma dica importante é compor o seu estoque com itens de uso universal nos móveis, de preferência, reservando um espaço mínimo de 70% e máximo 80% a eles. Exemplos disso são colas, dobradiças, cavilhas e fitas de borda.

É preciso também destinar espaço para utensílios difíceis de encontrar no mercado, pois em caso de necessidade, você pode ter uma entrega atrasada ou suas atividades paralisadas por conta de uma única ferramenta ou dispositivo.

Procure se informar sobre diferentes filosofias para lidar com a mercadoria armazenada. Exemplos disso são as de Lean Manufacturing e Kanban. Elas podem ser úteis no gerenciamento do seu estoque e da produção como um todo. Tenha critérios para lidar com essa parte tão significativa do seu empreendimento.

Também em relação ao estoque, jamais desconsidere o poder da tecnologia no seu negócio. Para fazer esse gerenciamento, mais do que contar com as famosas planilhas de Excel, é possível trabalhar de maneira ainda mais sofisticada, com softwares específicos. Entradas, saídas, inventários, cadastro de produtos, entre outras ações, são algumas medidas que podem ser aperfeiçoadas com o uso de ferramentas modernas.

Em relação às chapas, como MDF e MDP, armazene no estoque somente aquelas que possuam giro rápido. Priorize as revestidas com padrões utilizadas entre 80% e 90% dos móveis que a marcenaria confecciona. Materiais inflamáveis como verniz, thinner e selador precisam ser mantidos longe da área de produção. Sendo assim, armazene os produtos em função das informações que os fornecedores dos materiais divulgam, tomando cuidado para que a área esteja sempre limpa, com boa iluminação e ventilação adequada.

3. Defina os melhores investimentos para a gestão

É preciso ter acesso aos recursos certos para facilitar a sua gestão. Pensar nisso é fundamental, pois tendo como agilizar processos, fica mais fácil atingir os objetivos. Nesse sentido, a automação é sempre uma alternativa válida. É ela quem dará a você condições para simplificar sua rotina.

Em relação aos dados, quanto mais precisa for a sua atualização, menor será a incidência de erros nos diferentes cálculos a serem realizados. Essa é a lógica de contar com um sistema de gestão empresarial, mesmo em fases iniciais do empreendimento. Essa ferramenta permite maior adequação aos processos e, consequentemente, torna a sua gestão mais eficiente.

É necessário procurar soluções que tornem a sua rotina mais dinâmica e produtiva. Softwares que auxiliam na realização de orçamentos de projetos, programas que permitem projetar móveis ao gosto do cliente, entre outros, são recursos que cada dia mais vem sendo adotados por profissionais do segmento, o que significa que, se você ao menos não acompanhar essa movimentação, poderá ter motivos para ficar para trás. A ideia é repensar os processos em função dessa realidade.

O mercado moveleiro pode e deve investir também em maquinário para deixar a mobília do jeito exato como o cliente quer. Tamanho, material, cor e acabamento podem ganhar com o investimento em máquinas modernas, capazes de fazer os móveis sob medida.

Além disso, é preciso investir sempre em treinamento do profissional que realiza as tarefas. Cortes mais precisos permitem uma entrega mais bem acabada e satisfatória para o cliente, mas exigem anos de dedicação por parte de quem os realiza. Por mais que a tecnologia avance em termos de sistemas e máquinas, um acabamento fino ainda exige uma mão de obra qualificada. Para tanto, é preciso valorizar o profissional.

Investir em soluções assim pode gerar valor ao seu trabalho e trazer maiores lucros para a sua empresa. Dessa forma, é possível dizer que a marcenaria moderna exige foco em três tipos de investimentos: softwares, equipamentos e profissionais.

Além disso, é preciso considerar diferenciais que permitam a você realmente encantar seus clientes. Um exemplo está no atendimento. O seu posto de trabalho não é o espaço mais recomendado para receber clientes.

Assim, o ideal é investir em um espaço fechado, com boa decoração, que remeta aos benefícios que sua marcenaria poderá trazer ao consumidor. É nesse espaço que deverá haver um mostruário de seus melhores trabalhos. Ainda que não seja essencial, é importante, e de muita valia, fazer esse tipo de investimento para dar uma boa impressão a quem pode contratar os seus serviços.

4. Pense em um diferencial competitivo para o seu negócio

Trabalhar todos os dias pode ser insuportável se você não sabe onde quer chegar. Qualquer empresa de qualquer ramo de atividade precisa ter sua estratégia para ganhar mercado e assim crescer com o tempo. Para tanto, não basta apenas o desejo pelo sucesso, mas sim usar a racionalidade para entregar ao público um diferencial competitivo. Você sabe qual é o seu?

Um dos maiores gurus do marketing de todos os tempos, Philip Kotler, costuma dizer que a vantagem competitiva contribui de maneira significativa para os benefícios percebidos pelo cliente. Nesse caso, ter um diferencial competitivo é ter algo que oferece distinção em relação aos concorrentes e que é difícil de ser imitado.

O diferencial competitivo pode ser de qualquer natureza. Ele pode estar na maneira de precificar projetos, dando ao cliente acesso a um insumo de qualidade por um preço mais baixo do que o da concorrência, por exemplo. Em resumo, o diferencial competitivo é tudo aquilo que a sua marcenaria consegue fazer melhor que outras e que permite atrair e fidelizar clientes.

Existem três formas de se conseguir isso. Pelo design, pelos processos e pelo relacionamento com o cliente.

Design

Você já viu algum teste cego envolvendo consumidores de Coca-Cola e Pepsi? Existe algo em comum entre todos eles: a maioria das pessoas não tem a capacidade para diferenciar uma marca da outra. Fãs de Pepsi confundem seu sabor com o da Coca e vice-versa.

Mas então, o que faz com que essas marcas, em especial, a Coca-Cola, sejam tão fortes no mercado? O impacto de seu design faz com que a percepção do produto em si seja tão ou menos relevante do que a imagem que ele apresenta.

É por isso que investir marketing e, mais precisamente em design, pode fazer a diferença do ponto de vista competitivo para a sua empresa. Contar com essa ferramenta permite a você criar uma imagem positiva na mente do consumidor e, assim, potencializar suas vendas.

Processos

É preciso ter a capacidade de atender seu cliente onde quer que ele esteja. Para tanto, é preciso ser onipresente, valorizando seu potencial de distribuição e de logística.

Tudo bem se o seu mercado não está presente em outros continentes, mas se você se concentra em uma determinada região da cidade onde mora, é preciso que exista uma estratégia para que o alcance seja compatível com os interesses dos clientes que pode atender.

É necessário fazer com que os processos sejam aperfeiçoados de maneira que exista uma integração entre eles e a devida otimização da cadeia produtiva, eliminando desperdícios e gargalos, fazendo com que as entregas sejam sempre rápidas e eficientes.

Relacionamento com o cliente

Outra forma de adquirir o diferencial competitivo é procurando dar ao cliente algo mais, indo além daquilo que ele espera. Excedendo suas expectativas você trará satisfação, o que fará com que esse cliente tenha motivos para continuar contratando os seus serviços, se tornando fidelizado.

Isso pode fazer com que ele fale de maneira positiva a respeito de sua marcenaria para outras pessoas e se torne menos propício a ser influenciado por estratégias de propaganda de concorrentes e até a preços mais baixos, caso entenda que realmente vale a pena comprar com você.

É bom lembrar que um cliente fidelizado custa menos do que adquirir novos clientes, pois no caso dele, as transações fazem parte da rotina e é possível trabalhar melhor com os valores praticados.

5. Conheça técnicas para captação e fidelização de clientes

Indo além do universo da marcenaria, é importante também pensar em ações que façam com que a sua empresa tenha lucro. É nesse aspecto que o perfil empreendedor precisa aparecer em você. Não se preocupe: a ideia aqui não é criar mais compromissos para o seu dia a dia, e sim, ajudar você a simplificar os processos. Nesse caso, algumas dicas são essenciais. Principalmente em relação à captação de clientes.

É bom lembrar que com um trabalho bem-feito e pontualidade na entrega, você consegue satisfazer seus clientes e, assim, conseguir indicações. É por isso que contar com as soluções certas para aperfeiçoar suas ações é fundamental.

Utilize sistemas para marcenaria avançados, valorize cada profissional, realize periodicamente a manutenção de seus equipamentos, esteja sempre atento ao ambiente e questões como limpeza e organização. Procure, ao menos a cada 30 dias, revisar essas questões para fazer com que o espaço em que você atua profissionalmente esteja sempre adequado aos serviços que serão prestados.

Essa é a dica essencial para que você tenha como criar estratégias para captar e fidelizar clientes. Sem ela, qualquer ação estará fadada ao fracasso.

Dito isso, é preciso considerar um caminho lógico para conquistar clientes. Podemos organizar didaticamente em quatro passos: a atração, a captação, a retenção e a fidelização. Saiba mais na sequência.

Tudo começa com a atração. Sem ela, você não conseguirá captar, muito menos fidelizar ninguém. Você pode divulgar seus serviços usando ferramentas tradicionais de propaganda e recursos digitais mais modernos. É nessa fase que você precisa aparecer para o público, mostrando a ele os seus serviços e aquilo que pode fazer a diferença na sua vida.

Em seguida, é hora de captar clientes. Depois que eles conhecem a sua empresa, você já pode investir em estratégias mais precisas. A captação acontece por meio das vendas e depende do convencimento realizado ainda na etapa anterior. É aqui que entram as habilidades para persuadir. Por isso, fique sempre atento às dicas de vendas que podem ajudar você a aperfeiçoar a sua relação com seus consumidores.

Ao fechar negócio, você precisa garantir que os clientes que fizeram as primeiras compras, repitam o processo por mais vezes. Essa é a etapa da retenção de clientes. É a hora de surpreender e encantar, oferecendo mais do que as pessoas esperam. Aproxime-se do seu cliente, ouça mais e estabeleça um elo que interesse a ele.

Enfim, após a retenção, vem a fidelização, que é a etapa em que, fiéis ao seu negócio, os clientes são capazes de recomendar o seu trabalho para outras pessoas e, assim, dão um retorno ainda maior para o seu negócio. Para chegar a esta etapa é preciso respeitar as três anteriores, num processo que exige grande dose de atenção e o uso de recursos como o marketing e estratégias de atendimento para transformar a comunicação da empresa.

Enfim, o grande problema do profissional da marcenaria é que, muitas vezes, além de marceneiro, ele também tem que ter uma mente empreendedora por necessidade, não por aptidão, sendo exigido no dia a dia para que resolva questões que não tem o devido preparo para enfrentar.

Em uma fase inicial do empreendimento, é comum que ele não tenha condições para dedicar profissionais para atuar especificamente em determinadas áreas pontuais, acumulando funções que podem fazer com que sua ação torne-se dificultada.

Assim, além de lidar com suas exigências naturais enquanto marceneiro, ele também tem que se desdobrar para dar conta de outras atividades essenciais para o sucesso do negócio como o atendimento de clientes, a negociação de valores para a compra de materiais, a questão financeira e salarial da empresa e a organização do estoque. Isso para falar somente de uma maneira geral.

É por isso que é preciso ter um plano, ou seja, agir com critérios para dar conta de todas as responsabilidades e ainda conseguir entregar os melhores resultados possíveis para os clientes.

Esse foi o objetivo do material aqui apresentado. Dar um norte para que você comece a organizar sua administração e não sofra como tantas pessoas que, sem a orientação necessária, acabaram perdendo o rumo. Esperamos que ele sirva como uma ferramenta importante para você manter suas obrigações em dia e, assim, ter como progredir de maneira estruturada.

Isso é tudo sobre marcenaria que você precisa saber aqui. Quer se aprofundar ainda mais? Então não deixe de baixar o nosso e-book sobre como uma solução em gestão pode potencializar os resultados de sua empresa.

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário