Marcenaria

Tipos de madeira: como explicar para os clientes?

05/11/2018

Você já deve ter se deparado com a situação de ter que explicar para os clientes do seu negócio qual é a diferença entre os tipos de madeira disponíveis na loja.

O fato é que a madeira é tida como matéria-prima de excelência no que diz respeito ao mercado de móveis, entretanto, existem diversos tipos de materiais que, de acordo com suas características próprias, diferem consideravelmente naquilo que será o produto final entregue ao consumidor.

Dessa forma, conhecer as possibilidades que o mercado oferece é fundamental para determinar qual é a melhor opção para cada interesse. Saiba mais sobre os tipos de madeira a seguir e tenha como esclarecer aos consumidores as diferenças entre elas.

Tipos de madeira: naturais e industriais

A madeira pode estar em sua forma natural ou industrializada. Esse talvez seja o primeiro parâmetro a ser considerado. Uma vez esclarecido isso, você pode partir para as diferentes variações que cada tipo de madeira apresenta.

A madeira natural tem como características boa durabilidade e resistência. Ela apresenta um aspecto que dá destaque nos ambientes com brilho e beleza. Costuma ser muito utilizada na construção e na produção de móveis, garantindo elegância e durabilidade.

Já as madeiras industriais são mais utilizadas em móveis e decorações. Têm como diferencial principal em relação às madeiras naturais o custo reduzido e a preservação ambiental.

Saiba mais sobre os principais tipos de madeiras naturais e industriais a seguir.

Principais madeiras naturais

Cedro

Possui uma tonalidade avermelhada que transmite maior conforto ao ambiente. Trata-se de um material versátil, que pode ser serrado, lixado e parafusado com facilidade. É pouco permeável e seca rapidamente. Apresenta resistência média contra insetos e micro-organismos.

Basta a aplicação de vernizes ou selantes transparentes para proteger o cedro da umidade e aumentar sua vida útil. Para dar destaque à luminosidade do material, é possível também tratar a peça com óleo de cedro.

Angelim

Material fácil de ser trabalhado e que permite bom acabamento e durabilidade para os móveis. Possui um aspecto fibroso com textura mais grossa, além de ser caracterizado pelo tom castanho avermelhado, com manchas escuras.

A madeira de angelim pode ser usada no trabalho com acabamentos internos e também em construções externas, além de esquadrias, tacos e tábuas para pisos, entre outros.

Carvalho

O carvalho é especialmente importante no mercado de móveis. Ele pode ser encontrado nas variedades vermelho e branco, sendo sempre muito forte, apesar de apresentar fácil manuseio.

Trata-se de um material que também é resistente à umidade, o que permite que seja utilizado em mobiliário exterior.

Madeira de demolição

É um tipo de madeira natural, proveniente do reaproveitamento de peças antigas, mediante tratamento. Apresenta uma aparência que chama a atenção em projetos rústicos.

Materiais como ipê, jacarandá, carvalho e castanheira, por exemplo, podem ser reaproveitados de obras demolidas e utilizados em novos projetos, apresentando aspecto e uso completamente diferentes dos originais.

Pinho

Um material durável e que apresenta boa resistência. Devido à sua cor clara, apresenta-se como uma boa alternativa para uma decoração mais clean ou minimalista. É um material barato que pode ser utilizado em qualquer tipo de móvel interior. É fácil de trabalhar, sendo suave ao toque.

Principais madeiras industriais

MDF

O MDF (sigla para Medium-Density Fiberboard — placa de fibra de média densidade, em português) é um painel desenvolvido a partir da aglutinação de fibras de madeira com resina sintética e aditivos. Não possui camadas, tendo aspecto homogêneo. O aspecto de sua superfície faz com que ele seja ideal para pintura, verniz e laminados.

Dessa forma, o MDF dá origem a móveis com formato e partes arredondados, sendo útil na fabricação de móveis, laterais e fundos de gavetas. Tem alta resistência a empenamentos.

MDP

Já o MDP (Medium Density Particleboard — ou painel de aglomerado constituído de partículas de madeira aglutinadas entre si) é um tipo de material composto por camadas de partículas de madeira sobrepostas, sendo as maiores delas localizadas no centro da chapa, enquanto as mais finas ficam na superfície.

É encontrado em móveis residenciais e comerciais, preferencialmente retilíneos. Apresenta estabilidade, além de garantir bom acabamento. Outra característica é a boa fixação das ferragens, a menor absorção de umidade em relação ao MDF e o preço mais baixo.

Aglomerado

O que é comumente chamado de aglomerado nada mais é do que uma mistura de resíduos de madeira. A ideia original era usar serragem e restos de madeira presentes nas fábricas, unidos por cera e resina, visando fabricar um novo tipo de compósito. Com o tempo, os compostos foram substituídos por madeira moída, dando maior uniformidade ao processo.

O material aceita bem a pintura e o verniz e pode ser utilizado na fabricação de móveis e de gavetas, possuindo baixo custo, mas pouca durabilidade, devido à baixa resistência à umidade.

HDF

High Density Fiberboard (ou painel de fibras de alta densidade) são fibras de madeira processadas por aglutinação com grande pressão. Essas chapas são homogêneas e apresentam superfície uniforme. Elas podem ser pintadas, envernizadas e laminadas. Além disso, suportam peso e permitem cortes e entalhes, sendo um material útil para fundos e laterais de móveis.

Compensado

Pode ser laminado ou sarrafeado. O primeiro é desenvolvido com diferentes lâminas de madeira, que possuem a mesma espessura e que são coladas sucessivamente de tal maneira que passam a formar chapas. O compensado laminado apresenta boa resistência mecânica e geralmente é utilizado na fabricação de móveis e prateleiras.

O segundo, sarrafeado, é resultado de chapas com sarrafos de madeiras cortados que são colados lateralmente em um mesmo sentido. É uma placa mais resistente e que possui menor grau de empenamento, sendo indicada para a produção de portas e estrutura de móveis.

É importante que você entenda essas diferenças para dar ao seu cliente a orientação adequada em relação aos seus interesses. Escolhendo bem a madeira, ele tem como saber se vai investir na construção de um ambiente mais sofisticado, aconchegante ou durável, em função dos custos e objetivos.

É bom lembrar que, além dos citados aqui, existem também outros tipos de madeira, como aroeira, cerejeira e OSB (Oriented Strand Board — em português, painel de tiras de madeira orientadas), também com suas características e diferenciais próprios.

Gostou de saber sobre os tipos de madeira? Então, não deixe de compartilhar o conteúdo nas suas redes sociais para outras pessoas terem acesso à mesma informação.

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário