Gestão

Taxa de turnover: saiba como diminuir na sua fábrica de móveis

20/12/2017

A Indústria moveleira costuma envolver uma série de processos ao longo da produção, o que faz com que tudo o que envolve a questão do colaborador ganhe relevância. Por isso, quando, por algum motivo, uma empresa começa a perder muitos funcionários dentro de um período curto, é preciso agir.

Mas qual critério adotar para conferir se as saídas estão realmente fora da normalidade? Para tanto, trabalhar com a taxa de turnover pode ser a solução. Ela permite que o gestor se certifique de que realmente a empresa tem perdido uma quantidade grande de colaboradores para então tomar as atitudes necessárias.

Quer saber mais sobre ela e quais medidas podem ser adotadas para reduzi-la? Então confira.

Comece calculando a taxa de turnover

O procedimento é relativamente simples, bastando anotar a quantidade de funcionários admitidos, demitidos e o total de colaboradores que a fábrica possui. Some as entradas e saídas e divida o resultado por dois. Esse valor deve ser dividido pelo total de funcionários. Da seguinte forma:

Número de admissões + Número de desligamentos / 2 / Total de funcionários. Consequentemente, multiplique por 100 para que o resultado final apareça em forma de porcentagem. Essa é a taxa de turnover da sua empresa. Você pode usá-la considerando toda a organização ou setores diferentes dela, dependendo da sua necessidade.

Caso o valor esteja abaixo de 5%, esse índice pode ser considerado como dentro da normalidade. Agora, caso ele ultrapasse esse número, é preciso analisar o que está errado e mudar alguns processos do seu negócio. Quer ajuda? Então confira as nossas dicas na sequência.

Fique atento às causas externas

É importante considerar fatores externos à sua empresa nesse quadro. Nesse caso, o turnover alto pode se dar em função da incompatibilidade entre aquilo que a sua companhia oferece para o colaborador e aquilo que o mercado pratica.

É preciso considerar a possibilidade de existirem melhores oportunidades de trabalho em outras companhias. Assim, o ideal é investir em ações capazes de tornar a sua empresa mais competitiva diante dessas ameaças.

O segredo é procurar saber quais são as práticas que têm seduzido profissionais e tentar adotar no seu empreendimento.

Medidas voltadas à qualidade de vida no trabalho, são exemplos de recursos que costumam atrair colaboradores para as empresas mesmo em situações em que a questão salarial não parece ser tão vantajosa.

Aprimore o processo seletivo de colaboradores

Comece contratando bem. Tendo critérios para conduzir o processo seletivo da empresa, as chances de colocar funcionários não qualificados para o trabalho dentro do ambiente interno são reduzidas. É necessário, nesse sentido, ter uma precisão cirúrgica na hora de atrair talentos para que eles passem um período longo na companhia, contribuindo com o seu crescimento.

Como fazer isso? Otimizando o processo de seleção. É preciso ter à sua disposição recursos capazes de tornar mais ágeis e precisas as diferentes etapas desse procedimento.

Automatizando ações, como a filtragem dos candidatos e trabalhando com a análise do perfil comportamental, por exemplo, você pode aperfeiçoar o trabalho do RH da sua empresa e tornar a contratação mais eficiente em relação aos interesses dela, diminuindo a incidência de saídas.

Treine a sua equipe

Não há segredo quanto a melhorar o desempenho de alguém em relação a uma atividade: é preciso treinar. Quanto mais você investir em diferentes tipos de treinamentos para os colaboradores da sua empresa, mais eles tendem a se aperfeiçoar e, consequentemente, atuar melhor em relação aos interesses dela.

Invista em treinamentos técnicos e comportamentais, como cursos e palestras, procurando sempre avaliar se os métodos utilizados estão apresentando os resultados esperados.

Ações como eventos, workshops, entre outros, também são válidas e devem fazer parte da cultura da empresa. Isso, além de ser algo que atua especificamente no aumento de produtividade da equipe, também faz com que surja um sentimento de valorização nos seus colaboradores, algo fundamental para que eles se mantenham motivados dentro da organização.

Diversifique a oferta de benefícios

Uma boa forma de fazer com que o colaborador se engaje com os interesses da empresa é oferecendo diferentes tipos de benefícios a ele, além, é claro, de garantir o pagamento de seu salário em dia.

Você pode criar parcerias com outras empresas para que a equipe tenha acesso a descontos especiais, por exemplo.

Além disso, ações como a flexibilização dos horários de trabalho e a definição de uma política de metas, por exemplo, costumam ser muito úteis para envolver os profissionais de tal maneira que, mesmo diante de uma proposta salarial melhor, eles tenham como continuar na empresa.

Trabalhe com o plano de carreira

É preciso também criar meios para que o colaborador cresça dentro da sua empresa. Isso é algo que certamente traz benefícios para todos os envolvidos. Uma boa alternativa é investir no plano de carreira.

Basicamente, o plano de carreira dá ao funcionário o caminho das pedras para que ele se desenvolva e consiga ocupar os cargos mais altos da companhia.

Uma vez divulgado dentro da organização e, com regras preestabelecidas, o plano se torna um diferencial importante para a empresa reter talentos e aperfeiçoar trabalhadores para que alcancem o sucesso dentro da companhia.

Com ele, questões como promoção, recebimento de bônus e aumentos salariais, tornam-se mais claras e isso pode se converter em um diferencial em relação à concorrência.

Aperfeiçoe o feedback

O feedback é um recurso fundamental dentro de qualquer empresa. Quando ele é bem executado, cada colaborador pode ter parâmetros para agir em função daquilo que realmente tem que melhorar ou para saber como manter o seu desempenho em alto nível.

É importante que ele seja dado corretamente, ou seja, sem que haja a exposição do funcionário na frente dos demais diante do erro. Procure se concentrar em dar feedbacks negativos individualmente e positivos coletivamente.

Assim você consegue transformar essa medida em algo útil para o empreendimento e, principalmente, para o colaborador, que ao assimilar a sua dificuldade, consegue reagir e trazer resultados melhores para a empresa. Não deixe também de investir na sua capacitação sempre que necessário. Essa é a hora para você qualificar o seu colaborador e não para desmotivá-lo.

Enfim, procure estar sempre atento à taxa de turnover no seu negócio. Isso permite que você encontre alternativas para, com foco no colaborador, reter talentos e causar menos gaps na produção.

Agora que você já sabe como lidar com a taxa de turnover, confira também: indústria 4.0: o papel da tecnologia de gestão nesse processo.

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário