Marcenaria

Conheça e saiba como otimizar as 4 principais técnicas de marcenaria

08/05/2017
otmizartecnicas-otmizar-tecnicas-marcenaria-marceneiro-marceneira-madeira-carpinteiro-carpinteira-handmade-

A arte de se trabalhar com madeira pode ser considerada milenar, pois existe desde os primórdios da humanidade. E, a cada dia, surgem novas técnicas de marcenaria, para atender às demandas do mercado, que exige móveis cada vez mais sofisticados.

Ao longo dos anos, o marceneiro vem deixando de produzir em escala para atender aos gostos, preferências e necessidades individuais de cada cliente. E para constatar isso, basta ir à uma casa, apartamento ou escritório de hoje em dia. Praticamente, todos os ambientes são compostos de móveis planejados que se encaixam perfeitamente, pois foram feitos sob encomenda para a aquele local.

O resultado disso são decorações mais bonitas, harmoniosas e funcionais, que tornam cada lugar único, cheio de personalidade, espelhando as preferências de seus donos e usuários.

Portanto, para que você acompanhe todas essas tendências e mantenha a sua marcenaria sempre com muita demanda, é preciso aperfeiçoar técnicas, abandonar vícios de trabalho e estar sempre bem informado sobre todas as tendências.

Neste post, vamos falar um pouco sobre algumas das principais técnicas de marcenaria e de que forma elas evoluíram ao longo dos anos. E você vai ver como é importante estar por dentro dessas evoluções e, então, trazê-las para o seu dia a dia.

1. Pré-acabamento

O pré-acabamento é uma das fases mais importantes da fabricação de móveis, já que trata do momento em que você recebe a peça de madeira que será trabalhada para se transformar no produto final.

Qualquer erro nesta fase pode ser fatal para o resultado do trabalho e, portanto, é necessário muita atenção aos procedimentos e conhecimento das técnicas para viabilizar a fabricação do móvel.

Emassamento

Dentro da fase de pré-acabamento, existem as técnicas de emassamento, que são empregadas para se corrigir pequenos defeitos no material. A madeira bruta geralmente é cheia de imperfeições que precisam ser corrigidas antes de se iniciar o projeto do móvel.

O emassamento consiste no preenchimento de buracos na superfície da madeira com a utilização de uma massa especial.

Antigamente, os marceneiros costumavam fabricar as próprias massas, mas hoje em dia isso não é necessário. Além de ficar mais caro, você perde tempo com o processo de fabricação.

Procure utilizar as massas prontas comerciais, vendidas em diversas tonalidades. Elas possuem qualidade suficiente para o trabalho, custam menos e não exigem tanta mão de obra quanto a necessária para fabricar o composto.

Lixamento

Muitos marceneiros não gostam dessa fase, que produz muita sujeira e demanda bastante esforço. Mas o lixamento é fundamental no processo de pré-acabamento, pois permite que a peça seja nivelada adequadamente, facilitando encaixes futuros e também a pintura.

Atualmente, você pode utilizar lixas de diversas granulações, variando entre 60 e 600. O ideal é começar com uma lixa mais grossa e, a medida em que o trabalho for evoluindo, você pode ir diminuindo a espessura dos grãos.

Para agilizar o trabalho e poupar o esforço, use uma lixadeira elétrica, que pode ser adquirida em diversas lojas do ramo.

2. Acabamento

A fase do acabamento é o momento em que a peça começa a ganhar a cara final, que será aplicada no móvel. Os processos e técnicas escolhidos variam de acordo com o projeto que você estiver executando.

O fato é que, para que o acabamento saia perfeitamente conforme o planejado, é necessário que a fase anterior tenha sido muito bem executada.

Envernizamento

A técnica de envernizamento serve como proteção e finalização da peça. A aplicação do verniz deve ser feita após a utilização de um selador, para fechar os poros da madeira e evitar a corrosão da peça com o tempo.

Os vernizes podem ser feitos a base de óleo ou álcool. Os oleosos são mais indicados para ambientes externos, já que são mais resistentes às mudanças climáticas. Já os alcoólicos devem ser usados internamente, geralmente aplicados em peças que serão utilizadas como móveis decorativos.

Tingimento

Essa técnica costuma ser usada em madeiras mais claras, com o objetivo de dar a elas uma tonalidade mais parecida com materiais nobres.

Para se tingir uma peça de madeira, é necessário que ela esteja bem seca e sem nenhum resíduo de pó, proveniente do lixamento.

Como são muito concentrados, os tingidores precisam ser diluídos em água ou solvente, dependendo da sua composição. Depois da aplicação, é preciso envernizar o móvel para obter o brilho desejado.

Laca

Antes de aplicar a laca, é necessário utilizar um produto chamado Primer, que atua como se fosse uma seladora. Para que este trabalho seja bem-feito, é preciso isolar a peça em uma cabine protegida, pois o pó da marcenaria pode afetar o processo.

A madeira precisa secar por 12 horas antes da laca ser aplicada definitivamente.

3. Cortes

A técnica de cortar a madeira é uma das que mais se beneficiou da tecnologia nos últimos anos. A fabricação de móveis planejados exige uma precisão cirúrgica nos cortes, caso contrário, todo o projeto pode ser prejudicado.

Planos de corte

O plano de corte é determinado pelo projeto do móvel. A técnica consiste no desenho e nas marcações necessárias para que a peça ganhe a forma necessária para a montagem posterior.

Elaborar um plano de corte não é uma tarefa fácil, mas hoje em dia você pode contar com softwares que fazem todo o trabalho por você, com base no projeto final. O resultado é que você ganha mais precisão e perde menos tempo com essa tarefa.

4. Montagem

A montagem é a etapa final do seu projeto e é o momento no qual todo o seu trabalho será posto a prova. Se todas as técnicas tiverem sido aplicadas corretamente, a montagem ocorrerá sem nenhum problema.

Marcação

Muitas pessoas, na hora de fazer a montagem, utilizam o velho conjunto régua + lápis para encaixar as peças corretamente no local planejado. Mas hoje em dia, existem técnicas mais avançadas, precisas e menos agressivas.

Você pode contar com um nivelador a laser, que fornece maior precisão na montagem. Também pode lançar mão de materiais mais amigáveis à madeira, como fitas dupla face e linhas de pesca, para nivelar cada peça corretamente.

Viu só quantas técnicas de marcenaria para que o seu trabalho seja cada vez mais valorizado? Se você gostou deste texto, certamente vai gostar também do e-book sobre administração financeira para marcenarias, que vai ajudá-lo a manter o seu negócio sempre saudável financeiramente. Boa leitura!

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário