Indústria

O que está impedindo a sua fábrica de móveis de ser uma fábrica inteligente

25/07/2017
Homem-trabalhando-separando-materiais-com-inteligência-artificial-e-natural-processo-automatizado-melhorar-fábrica-revolucionar-fábrica-de-móveis

O crescimento da tecnologia, a alta competitividade do mercado e as mudanças nos hábitos de consumo, entre outros fatores, fazem com que os negócios tenham que ficar por dentro das últimas tendências e ferramentas para continuarem ativos.

Nesse contexto, algo que chegou para ficar é o conceito de fábrica inteligente. Ao aplicá-lo em sua própria fábrica de móveis, você consegue transformar seu negócio em um espaço que sabe usar a tecnologia disponível. Assim, todos os processos são otimizados e você conquista melhores resultados.

Entretanto, a fábrica inteligente requer características que não estão atualmente presentes em muitos ambientes. Sendo assim, antes de implementar esse conceito, é preciso entender o caminho que sua fábrica precisa percorrer até alcançar esse objetivo.

Para ajudar você, o post de hoje mostra o que impede sua fábrica de móveis de ser uma fábrica inteligente, além de apresentar as formas com que você pode vencer esses obstáculos. Mas antes, é claro, vamos nos aprofundar nesse conceito inovador. Está esperando o quê? Continue a leitura e fique por dentro da tendência!

O que são fábricas inteligentes?

Digitalização e automação: essas são as forças à frente da nova revolução industrial representada pelas fábricas inteligentes. Enquanto robôs fazem todo o trabalho operário, os funcionários de carne e osso supervisionam os processos — tudo à distância, por meio de computadores ou até mesmo de dispositivos móveis.

Essa já é a realidade de muitas fábricas, especialmente dentro da indústria automobilística, que estão entre as mais robotizadas do mundo. Isso é permitido, dentre outros motivos, pelo fato de que as máquinas estão cada vez menores, mais portáteis, mais eficientes e mais acessíveis, permitindo que as fábricas potencializem seu uso.

Além disso, cada vez mais etapas dos processos industriais podem ser realizadas de maneira digital, como o design de móveis, os testes de materiais e os protótipos. Em um sentido mais amplo, até mesmo a arquitetura da fábrica, o gerenciamento da linha de produção, a organização do estoque e o controle das entregas podem ser digitais.

O que impede seu negócio de ser uma fábrica inteligente?

Agora que já entendemos melhor o conceito, é hora de você avaliar o que está no caminho da transformação do seu negócio em uma fábrica inteligente. Acompanhe:

Falta de metodologia de gestão

Um dos pilares da fábrica inteligente é o ERP, ou Enterprise Resource Planning (literalmente, “planejamento dos recursos da empresa”).

Trata-se de um programa de gestão que permite que você controle todos os processos envolvidos no dia a dia da sua fábrica de móveis, desde o recebimento de encomendas até o gerenciamento do estoque, passando pelo fluxo de caixa até a entrega dos móveis prontos para o cliente. O ERP, portanto, permite que sua gestão seja otimizada e digital.

Além de facilitar o cotidiano da fábrica e todas as suas demandas, o ERP também aprimora a produtividade da equipe e a própria qualidade da produção e do serviço disponibilizado para os clientes. Dessa maneira, ele permite que o trabalho seja mais eficiente, melhor e mais ágil, fazendo uma grande diferença nos resultados da fábrica.

Caso contrário, a gestão permanece presa às limitações do modelo tradicional de fábricas, repleto de burocracia, pouco integrado (mais sobre isso a seguir!) e que não aproveita as oportunidades trazidas pelo avanço da tecnologia e pela digitalização.

Falta de organização na fábrica

A transformação em fábrica inteligente requer uma grande reformulação na organização da sua fábrica de móveis. Afinal, a tecnologia permite não apenas a otimização de processos industriais já existentes, mas também traz novas possibilidades e formas de trabalhar.

Na fábrica inteligente, você tem controle total sobre tudo o que está acontecendo dentro do ambiente (sempre contando também, é claro, com a ajuda do ERP!).

Quanto tempo determinado funcionário passou realizando uma tarefa? Quantos móveis foram produzidos no dia? Qual é a quantidade de cada material no estoque? Há quanto tempo um caminhão saiu para entrega? O funcionário parou o trabalho para regularizar uma máquina, como ele deveria fazer? Todas as tarefas do dia foram concluídas?

Essas e outras perguntas podem ser respondidas dentro da fábrica inteligente. Com isso, você saberá exatamente o que, como e onde cada coisa aconteceu, podendo tomar as devidas providências em caso de atraso, ineficiência ou baixa produtividade.

Além disso, é claro, aquilo que está dando certo e funcionando com agilidade e qualidade poderá, então, ser otimizado. Voltando à questão da produtividade, por meio de gráficos, será possível analisar se as metas são realistas ou se a equipe não consegue alcançá-la — e, se for o caso, a meta poderá ser revista de maneira a torná-la viável.

Falta de integração entre processos de produção

Uma fábrica de móveis envolve um processo produtivo dinâmico e em constante transformação, e não um meio de trabalho engessado e permanente.

Nesse contexto, a fábrica inteligente requer que todos os colaboradores falem a mesma língua, ou seja, estejam por dentro do que está acontecendo não apenas em seu próprio setor, mas na sua fábrica de móveis como um todo.

Assim, antes mesmo de finalizar o projeto de um móvel, por exemplo, já será possível verificar se o estoque tem os materiais necessários para sua produção — ou, em caso negativo, solicitar a encomenda do que for preciso. Com isso, não há gargalos na produção e tudo funciona de maneira verdadeiramente integrada.

Pouco investimento em tecnologia

Como deu para perceber, o investimento em tecnologia é fundamental para que você realmente transforme sua fábrica de móveis em uma fábrica inteligente. Caso contrário, é impossível ter acesso à otimização, integração e digitalização necessários para implementar esse conceito na realidade cotidiana do seu negócio.

Portanto, comece agora mesmo! O ERP é o passo inicial para essa revolução porque, como mencionamos, ele atua como pilar da sua gestão, do trabalho dos funcionários e de todo o restante da modernização representada pela fábrica inteligente.

Depois, aos poucos, você poderá inserir também computadores mais modernos e ágeis, máquinas robotizadas, ferramentas para que os funcionários monitorem o trabalho das máquinas, e tudo o mais que puder fazer a diferença na realidade da sua fábrica.

Considere, por exemplo, a aquisição de um software para que os marceneiros possam planejar digitalmente a produção de projetos. Além de contribuir para a integração, o programa também possibilita que o responsável acesse o projeto em qualquer lugar e momento, aprimorando também o design de móveis exclusivos e diferenciados.

Gostou de entender o que impede seu negócio de se tornar uma fábrica inteligente? Quer continuar descobrindo maneiras de revolucioná-lo cada vez mais? Então, baixe agora mesmo nosso e-book gratuito O guia do controle de produção da sua fábrica de móveis!

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário