Marcenaria

Marcenaria inteligente: saiba como usar em projetos de interiores!

01/03/2018

O mercado imobiliário oferece diversas opções de apartamentos pequenos e, nesse sentido, conseguir aproveitar todos os espaços da melhor forma possível e criar ambientes multifuncionais é uma ideia que vem sendo cada vez mais adotada. E é aí que entra a marcenaria inteligente.

Apesar do papel do design de interiores ser inquestionável, aqui o marceneiro também tem um papel fundamental na hora de otimizar os ambientes. Quer saber mais sobre o tema e quais aspectos podem — e devem — ser contemplados no projeto? Então continue conosco e confira agora mesmo!

Afinal, em que consiste a marcenaria inteligente?

Ultimamente, a adoção de móveis que têm mais de uma funcionalidade está em alta. A ideia é atender às necessidades dos clientes, principalmente proporcionando ganho de espaço. É disso que a marcenaria inteligente trata: da execução de um projeto que ajuda a potencializar o ambiente e otimizar todas as áreas disponíveis.

Existem diversos exemplos e aplicações desse tipo de trabalho. Entre os principais, estão:

  • mesas embutidas no armário para ganhar espaço na cozinha;

  • móveis baús (como sofás) que permitem guardar mais objetos;

  • armário no quarto que tem uma porta a mais para esconder a entrada do banheiro;

  • camas que têm uma base com gavetas (que podem ser feitas de sapateira);

  • painéis ou portas que ajudam a esconder a área de serviço;

  • estantes que servem para dividir ambientes.

Além dos benefícios que esses móveis trazem, outra grande vantagem é que tudo pode ser personalizado de acordo com o imóvel e o que o cliente busca. Ou seja, o trabalho se torna ainda mais dedicado e as chances de aprovação e satisfação são muito altas — além da possibilidade de o cliente fazer indicações para outras pessoas.

Como ela pode ser aplicada nos projetos?

O primeiro passo, obviamente, é visitar o local, conversar com o cliente — sobre as preferências, necessidades, orçamento, prazos, entre outras coisas — e analisar todas as possibilidades que o imóvel oferece para otimizar os ambientes. Além disso, existem outras ideias que podem ser consideradas. Saiba mais nos tópicos a seguir.

Planejar móveis multifuncionais

Quando um móvel possui mais de uma função, ele é chamado de mobiliário inteligente. Com ele, em vez de se investir em vários móveis — e abarrotar um espaço que já é pequeno —, planeja-se um que tem duas funções, ou até mais, dependendo da situação. Assim, o objeto tem uma utilidade quando está sendo usado, e outra quando não estiver em uso.

Exemplos bem comuns disso são as camas com baú, porta com estante de livros, mesas de refeição que viram porta de armários e uma penteadeira que também pode servir de escrivaninha. Com isso, ganha-se mais espaço para circulação e se conquista mais harmonia na decoração, de modo geral.

Fazer a divisão dos ambientes com móveis funcionais

Em espaços pequenos e sem divisões — lofts — muitos clientes optam por fazer a divisão, a fim de delimitar as áreas e até mesmo conseguir alguma privacidade. Como, em muitos casos, fazer uma parede não é uma opção, a solução é usar móveis para dividir os espaços.

O melhor exemplo disso é oferecer uma estante vazada para separar os ambientes. Dessa forma, além de definir os recintos de maneira bem fluida, o móvel ainda poderá funcionar como parte da decoração.

Harmonizar ambientes conjugados

Em lugares onde o ambiente é aberto, conjugando dois cômodos — como sala de estar e cozinha —, é preciso pensar de forma que os móveis não sejam apenas funcionais, mas que também tenham um senso estético.

Isso quer dizer que, nesse caso, além dos armários na cozinha serem úteis, também devem ser projetados para harmonizar com os painéis, nichos ou estantes usados na sala. Assim, graças ao desenho diferenciado, os móveis se tornam ainda mais versáteis — tornando-se parte da decoração também.

Focar na praticidade

Planejar móveis práticos é um dos aspectos da marcenaria inteligente que mais contribui para garantir praticidade aliada à funcionalidade nos ambientes. A ideia é adaptar o espaço com móveis oferecem praticidade tanto na utilização, quanto na forma como podem ser dispostos e no espaço que ocupam.

Aqui, estamos falando de mesas dobráveis, itens embutidos em armários — como lixeiras —, cadeiras que podem ser empilhadas, espelhos no banheiro que podem funcionar como armário, entre outros itens.

Investir em cores

A harmonia é sempre fundamental em um projeto de decoração para deixar os ambientes agradáveis e aconchegantes. Contudo, isso não significa, necessariamente, que se tenha que usar apenas tons mais neutros. Apesar das cores claras ajudarem a dar a sensação de ambiente ampliado, elas não são a única opção para otimizar os espaços.

Como já sabemos, os móveis também podem ser usados como uma forma de integrar ou delimitar ambientes e a utilização de cores mais modernas e variadas na marcenaria também pode ser considerada uma forma de decorar.

Portanto, mesmo que os clientes decidam por usar branco, bege ou madeira, por exemplo, vale a pena oferecer opções com outras cores e opções que vão ajudar a trazer mais alegria e transformar o ambiente em algo mais conceitual.

Aproveitar quinas e outros espaços sem uso

Quando estamos falando de ambientes pequenos, principalmente apartamentos, lofts e kitnets, cada espaço deve ser explorado e ter um uso bem pensado. Nesse sentido, a marcenaria inteligente ajuda a elaborar soluções para aproveitar essas oportunidades que antes não tinham utilidade alguma.

Isso quer dizer que lugares como pequenos vãos, espaços no banheiro, quinas na cozinha e na sala, embaixo de escadas, embaixo da cama e bancada da pia são locais bem oportunos para inserir móveis e elementos de decoração — como nichos, prateleiras, armários, gavetas, iluminação, entre outros aspectos.

Assim, com a elaboração e execução de um bom projeto, pode-se chegar a soluções como compartimentos para esconder objetos, criar mais espaços funcionais e ter mais lugares para manter os itens guardados.

Como se vê aqui, a marcenaria inteligente sai daquele aspecto de apenas projetar e desenvolver móveis e vai além, oferecendo soluções para clientes que buscam ganhar espaço, aproveitar melhor cada ambiente, otimizar a decoração e até mesmo economizar na quantidade de móveis — já que as possibilidades multifuncionais permitem essa troca.

Gostou do nosso post de hoje e quer continuar acompanhando nossos conteúdos sobre projetos de decoração e marcenaria? Então assine a nossa newsletter e receba todas as novidades em seu e-mail!

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário