Varejo

Gestão de pessoas: o que é e como aplicar em seu negócio?

30/07/2018

A gestão de pessoas é uma das mais importantes atividades dentro de uma empresa. Ela garante a atração de gente talentosa, a construção de equipes competentes e a melhoria da performance organizacional, entre muitas outras vantagens.

Segundo pesquisa veiculada pela Harvard Business, empresas com boas práticas de RH têm, em média, desempenho 51% superior no mercado. Ou seja, é preciso entender mais de gestão de pessoas e de como aplicá-la em seu negócio. Desde o recrutamento até a análise de desempenho dos funcionários, tudo deve ser bem-feito se o objetivo é chegar ao sucesso.

Pensando nisso, reunimos para você diversas informações sobre o assunto e sugestões de como aplicar a gestão de pessoas em seu empreendimento. Confira!

Afinal de contas, o que é gestão de pessoas?

As atividades relacionadas à gestão de pessoas não se referem apenas ao setor de RH e muitos menos à burocracia existente na contratação, no pagamento ou no desligamento de empregados. Esse campo do conhecimento vai muito além. Trata-se de uma parte indissolúvel da empresa e dos próprios líderes da firma.

Grosso modo, gestão de pessoas é o conjunto de práticas que visa iniciar uma relação ganha-ganha com os funcionários, estimular e desenvolver as capacidades, bem como acrescentar competitividade à organização. Logo, não é um setor, nem mesmo um simples processo, e sim algo muito mais amplo.

Entre a primeira e a segunda revolução industrial, a ideia de gestão de pessoas estava estritamente ligada ao cumprimento das leis de trabalho. Hoje, é preciso considerar outros fatores, como a transformação digital e a atuação estratégica.

Como aplicar a gestão de pessoas no seu negócio?

Como explicado, essa gestão envolve um conjunto de práticas. Confira agora as principais.

Invista na atração e contratação de talentos

O processo de atração não se resume ao recrutamento. É uma etapa contínua que visa tornar a empresa bem-vista e desejada pelos profissionais talentosos. Para tanto, é possível lançar mão de diversas táticas, como a construção de uma marca empregadora.

Na seleção, utiliza-se uma série de técnicas — como entrevistas, dinâmicas, testes de perfil comportamental — para identificar os candidatos que possuem competências adequadas à empresa. Logo, torna-se mais fácil contratar alguém qualificado.

Realize a integração para construção de times

Após contratar, é crucial integrar o novo funcionário ao empreendimento, fazendo com que ele se sinta parte do time. Para tanto, vale apresentar as instalações da empresa, os principais líderes, os novos colegas de trabalho e a cultura organizacional.

A integração também é indispensável para que equipes de alto desempenho sejam construídas. Quando cada funcionário entende seu papel, pode atuar com qualidade, atingir as metas e contribuir significativamente para o sucesso empresarial.

Mantenha todos treinados e desenvolvidos

Outra atividade essencial à gestão de pessoas é o treinamento e desenvolvimento, que se refere ao aprimoramento contínuo dos profissionais. Isso contribui para que cada colaborador busque as competências técnicas e comportamentais para atuarem de forma satisfatória.

Há diversos formatos de capacitação, como treinamentos dentro da empresa, cursos EAD ou jogos empresariais, por exemplo. O melhor formato varia de acordo com o perfil da equipe, a cultura organizacional e o orçamento disponível.

Mensure continuamente o desempenho dos funcionários

É preciso fazer a análise de desempenho dos profissionais, identificando se estão sendo apresentados resultados adequados ou se é preciso melhorar. Assim, pode-se identificar a lacuna entre o real e o ideal, e depois agir corretivamente.

São muitas as maneiras de analisar o desempenho dos profissionais. É possível acompanhar as metas alcançadas, levantar os indicadores de desempenho ou, ainda, realizar as chamadas avaliações em 360 graus. Dessa forma, tem-se uma visão sistêmica dos profissionais.

Reconheça e recompense pelos resultados

A gestão de pessoas deve agregar um senso de meritocracia, o fazer por merecer, à empresa. Isso significa que os melhores profissionais, que entregam bons resultados, devem ser reconhecidos e recompensados — em termos financeiros e de carreira.

As recompensas podem ser financeiras, como comissões e bonificações, e não financeiras, como um dia de folga. A melhor escolha varia de acordo com a complexidade de cada tarefa, mas é indicado equilibrar os dois tipos de recompensa.

Quem é o responsável por fazer a gestão de pessoas?

Nos últimos tempos, tornou-se comum afirmar que a gestão de pessoas é responsabilidade do setor de RH, o que nem sempre é verdade. Muitas vezes, o papel do RH é dar o suporte para que os líderes façam gestão de pessoas.

É preciso deixar um ponto claro: o principal responsável pela gestão de pessoas é o próprio líder de equipe, o gestor. Ele deve conduzir seus subordinados, oferecer as ferramentas necessárias ao trabalho e cobrar desempenho elevado.

O RH tem um importantíssimo papel. Ele é o elo entre a empresa e os empregados e assegura o cumprimento de aspectos legais, inserindo estratégias e tecnologias à gestão de pessoas. Todavia, no dia a dia, o gestor é o principal responsável por desenvolver as estratégias.

Por isso, é preciso disseminar essa ideia dentro da empresa. Faça com que os gestores sintam-se responsáveis pelo crescimento dos seus empregados, bem como pela atração e retenção de talentos. Dessa forma, será possível obter melhores resultados.

Quais os benefícios de uma boa gestão de pessoas

Sem qualquer dúvida, são muitos os benefícios. Toda a empresa — em seus diversos níveis e áreas — pode ser recompensada. O retorno financeiro é maior, os clientes são mais bem atendidos e os próprios funcionários encontram bem-estar no trabalho.

Segundo pesquisa divulgada pela revista Exame, o simples bem-estar da equipe oferece lucro para a organização. Empresas que investem na qualidade de vida dos empregados são, em média, 86% mais produtivas, 76% mais atraentes e 70% mais rentáveis.

Isso também impacta na retenção de clientes, visto que 86% deixam a empresa pelo mau atendimento, e na produtividade diária, afinal, cerca de 17 horas semanais são improdutivas por falta de metas, comunicação e alinhamento.

Como pode-se observar, hoje, a gestão de pessoas é muito mais estratégica e útil ao crescimento empresarial. Então, é preciso investir na atração de talentos, na integração, no treinamento, na mensuração de resultados, no reconhecimento e, em especial, na conscientização do líder acerca do seu papel como gestor de pessoas.

Gostou do conteúdo? Aproveite para deixar uma dica, sugestão ou falar da sua experiência sobre o assunto!

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário