Varejo

Gestão de negócios: como usar sua ideia para empreender com sucesso

20/05/2019

Pequenas e grandes empresas nascem do mesmo lugar: das ideias. Não importa se falamos de uma indústria do cinema ou da padaria na esquina, um dia elas estiveram só na imaginação. Agora, como colocar ideias em prática e fazer gestão de negócios?

Uma bela frase sobre o tema é atribuída a Walt Disney: “você pode sonhar e projetar o lugar mais maravilhoso do mundo, mas é preciso pessoas para tornar esse sonho realidade”. Além de gente, é preciso estratégia, capital financeiro, objetivos claros, entre outras coisas. Da ideia até o negócio, existe um longo caminho.

Hoje, vamos ajudar você a percorrer essa jornada e usar sua ideia para empreender com sucesso. Ou seja, você vai descobrir como fazer gestão de negócios. Continue com a leitura!

Qual é a origem das boas ideias?

Para ser um empreendedor de sucesso, primeiro você deve ter uma boa ideia — ou conhecer e se associar com quem a tenha. O problema é que as ideias não brotam do nada, elas surgem a partir das nossas experiências, conhecimentos e inspirações.

Nesse sentido, é preciso estimular a criatividade e filtrar os insights mais valiosos. Muitas (talvez a maioria das ideias) não fazem sentido, mas apenas uma pode ser o início de uma empresa bem-sucedida. Para ajudar, o professor Marcelo Nakagawa criou o chamado “funil de ideias” e afirma que as melhores vêm de dois lugares: da vivência e do mercado.

No primeiro caso, é preciso analisar a vivência do empreendedor ou dos seus sócios. Listar as preferências e competências é um bom começo, assim como responder a perguntas do tipo “quem é você?”, “o que você sabe fazer?” e “quem você conhece?”.

A segunda fonte é o próprio mercado, analisando o que já existe em outro local ou contexto, antecipando tendências ou diagnosticando insatisfações com produtos ou serviços. A partir de uma análise profunda do ambiente, você pode se surpreender.

Nos dois casos, reuniões de brainstorming podem ajudar muito. Grosso modo, é uma reunião com outros profissionais para propor e filtrar ideias inusitadas, sem muitas preocupações ou critérios técnicos. Em resumo, é deixar a criatividade falar mais alto.

Como usar a ideia para empreender?

O primeiro passo é desafiador, pois exige uma grande dose de criatividade. Pense em quantas ideias originais já apareceram — de cerveja sem álcool para cachorro até locação de equipamentos para construção. No entanto, o mais difícil é colocar a ideia em prática.

No Brasil, o desafio ganha dois pesos extras: a burocracia e a alta tributação. Quem quer abrir um negócio e fazê-lo crescer deve trabalhar com o ambiente agressivo. De acordo com o Banco Mundial, ao analisar 190 países, a nação verde-amarela está entre os piores lugares para abrir um negócio — na posição de número 125, em 2018.

Por outro lado, o brasileiro nutre uma enorme paixão por ter algo próprio. Segundo a Endeavor, 76% da população do Brasil preferem ter um negócio a atuar como empregados. Mas para tirar a ideia do papel é preciso 3 “P” — pessoas, processos e produto.

Encontre as pessoas certas

Toda empresa é formada por pessoas, com pessoas e para pessoas. Logo, se você não entende de “gente” também não entende de negócios. O primeiro passo é reunir o capital humano necessário ao trabalho — sócios, investidores, mentores, funcionários e fornecedores. Avalie quem precisará estar envolvido para dar vida à ideia inicial.

Outra coisa, você não pode se esquecer dos clientes. Avalie quem é o seu público-alvo e até que ponto ele se identifica com sua ideia de produto ou negócio. Não adianta ter uma empresa pronta e bem-estruturada se os consumidores não possuem qualquer interesse no que está sendo vendido. Então, analise com muito cuidado!

Reformule os processos diários

Em uma empresa, quase tudo é feito por meio dos processos — por exemplo, existe o método de pesquisa e desenvolvimento (P&D), de venda, de cobrança de inadimplentes e de distribuição de produtos. Se os processos não forem bem-estabelecidos, ainda que a ideia inicial ganhe vida, o negócio dificilmente será considerado bem-sucedido.

De modo geral, pode-se considerar processo como a sequência contínua de fatores para se chagar a um objetivo. Quando há falhas nessa sequência, os erros podem custar caro e por em cheque a existência do empreendimento. Logo, mesmo as ideias mais criativas podem não resistir aos “gargalos” existentes no método diário de trabalho.

Crie um produto desejado

O conceito de produto é mais abrangente que o senso comum. Pode-se dizer que um produto é tudo aquilo que o empreendedor pode agregar valor, como um serviço, um bem, uma ideia ou até a imagem pessoal. Para empreender com sucesso e tirar a ideia do papel, também é preciso produtos que sejam cobiçados pelo público-alvo.

Para tanto, a dica é: avalie quais são os benefícios tangíveis e intangíveis que tornam seu produto único e diferente do que já é oferecido pela concorrência. Por exemplo, ele oferece conforto, segurança ou durabilidade? O objetivo é incrementar benefícios pelos quais os clientes estão dispostos a pagar, mantendo o preço final atraente.

Qual o papel da tecnologia nesse processo?

Em um período de transformação digital, no qual o mundo real e o digital estão cada vez mais próximos, empreender sem pensar na tecnologia é um grande equívoco.

No geral, a tecnologia contribui para analisar grandes volumes de dados, automatizar processos, modernizar o atendimento aos clientes, facilitar a conexão entre os colaboradores e gerar relatórios completos sobre a saúde do empreendimento. Mesmo áreas tradicionais, como o RH, já dependem totalmente dos recursos tecnológicos.

Não há uma tecnologia padrão, afinal, os recursos usados variam de acordo com cada negócio. Mas é preciso destacar que um bom software ERP é a espinha dorsal para a transformação digital, o ponto de partida para integrar o que existe de mais moderno.

Agora você já sabe como ter boas ideias e usá-las para empreender. Os desafios são diversos, como a elevada concorrência ou o ambiente hostil, mas você pode superá-los e encontrar seu lugar no mercado. Para tanto, é importantíssimo contar com o que há de mais moderno, como softwares e outras tecnologias de automação.

Gostou do nosso artigo sobre como fazer gestão de negócios? Aproveite para curtir nossa página no Facebook. Assim, você poderá ficar por dentro das nossas novidades!

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário