Marcenaria

5 dicas para ajudar marceneiros a fazer cobranças de seus clientes

02/05/2017
marcenaria-cobrancadeclientes-cobranca-de-seus-clientes-marceneiro-marceneira-cobrancas-

Fazer cobranças de clientes é sempre um desafio. Pagamentos atrasados ou calotes podem atrapalhar o fluxo de caixa da marcenaria, mas ainda assim, na hora de cobrar, é preciso ser habilidoso para conseguir receber o dinheiro sem estragar a relação com os clientes.

Esse tipo de situação acontece bastante com vendas parceladas, especialmente quando os valores de um projeto são muito altos e passam dos limites de cartão de crédito, fazendo com que seja necessário receber cheques pré-datados ou emitir boletos.

Para ajudar marceneiros que querem cobrar dos seus clientes forma mais eficaz possível, elencamos 5 dicas neste artigo. Confira:

1. Estabeleça um contrato claro

Ter um bom contrato que esteja claro para ambas as partes pode evitar muitas dores de cabeça na hora de cobrar pagamentos dos clientes.

É importante garantir que o comprador entendeu sua responsabilidade e também a do marceneiro na hora de formalizar a venda: termos bem definidos evitam que o cliente crie expectativas irreais e se frustre, o que pode atravancar o pagamento.

Ao mesmo tempo, definir datas para o pagamento e multas para atrasos ajuda a evitar a inadimplência. E, caso chegue ao ponto de cobrar na justiça, o contrato será essencial para isso.

2. Tenha uma estratégia de cobrança pré-formulada

Antes de entrar em contato com um devedor para realizar uma cobrança, é importantíssimo ter uma boa estratégia já definida. Para isso, o marceneiro deve primeiro buscar entender o perfil deste cliente e por qual razão ele não cumpriu com a sua parte e atrasou o pagamento.

Com essas informações, já dá para pensar em argumentos e um plano geral para fazer a cobrança. Mesmo que essa estratégia não seja seguida a risca na hora da cobrança, ela ajudará o marceneiro a manter o foco nos resultados.

3. Envie cobranças automáticas

Antes de entrar em contato com o cliente pessoalmente, deixe que ele seja alertado por cobranças automáticas quando os prazos estourarem. Por serem impessoais e diretas, não causam constrangimento nem desgastam a relação com o cliente.

Em casos em que a inadimplência acontecer por desorganização e esquecimento, só a cobrança automática já pode resolver o problema.

E, além disso, esse tipo de mecanismo poupa o tempo que o marceneiro poderia estar usando para vender mais ou produzir peças. Ligações de cobrança são tarefas que podem ocupar um tempo razoável do dia, além de serem mentalmente desgastantes.

4. Seja educado na hora de fazer cobranças

Ofensas e gritaria não resolvem o problema de ninguém. Mas no caso de uma cobrança, a falta de polidez pode dar até cadeia.

Segundo o artigo 71 do Código do Consumidor, ameaças, coações e qualquer procedimento que exponha o consumidor ao ridículo ou interfira no seu trabalho são passíveis de punições pela justiça, como detenção de três meses a um ano, além de multa.

E a verdade é que a grosseria não funciona. Mesmo que o cliente seja o primeiro a perder a cabeça em um diálogo de cobrança, o marceneiro deve se manter seguro e polido o tempo todo. Agressões verbais revelam insegurança e falta de preparo.

Para uma cobrança ser bem-sucedida, a postura deve ser firme e profissional.

5. Seja flexível e ofereça opções

Mesmo que sejam injustas, o cliente certamente tem suas razões para atrasar ou deixar de fazer algum pagamento. Na hora da cobrança, mesmo que convencido pela argumentação do cobrador, o devedor pode alegar que não é capaz de honrar seus compromissos integralmente.

Por isso, na hora de fazer cobranças, é preciso estar pronto também para negociar. Tenha sempre opções que levem a negociação ao consenso, como mais parcelas ou até a redução do saldo devedor. Um sucesso parcial é melhor do que nada.

E você, já teve que lidar com cobranças alguma vez? Como foi a experiência? Compartilhe com a gente!

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário