Indústria

Análise de falhas: o que é e quais são seus benefícios?

03/06/2019

A análise de falhas é o nome de um conjunto de técnicas e metodologias que visam combater não conformidades em uma linha de produção a partir uma avaliação aprofundada das imprecisões já existentes. Ou seja, é uma forma de aprender com os erros, diagnosticando melhor cada ocorrência, para que ela não torne a acontecer.

Em indústrias de qualquer tipo, a análise de falhas é uma responsabilidade importantíssima e diretamente relacionada à melhoria contínua dos processos produtivos. Apenas com uma compreensão dos erros do presente é possível evitá-los no futuro.

Neste artigo, vamos explicar melhor o que é a análise de falhas, como ela é realizada e os principais benefícios deste procedimento. Boa leitura!

As 5 etapas da análise de falhas

Existem diversas ferramentas e metodologias que podem ser aplicadas em uma linha de produção, como o Diagrama de Ishikawa (também conhecido como Espinha de Peixe), o método dos 5 Porquês e a Árvore lógica de falhas.

Vale a pena conhecer melhor cada um desses métodos para ter resultados melhores, mas, de uma forma mais ampla, é possível considerar que todo tipo de análise de falhas passa por 6 etapas principais, independentemente do método adotado: descrição, hipótese, teste, análise, resultados e propostas. Nos próximos parágrafos, vamos nos aprofundar em cada uma delas.

1. Descrição

A primeira etapa de uma análise de falhas começa com a identificação de um problema. Além de tomar ações corretivas imediatas para sanar o erro, é importante que ele também seja estudado e descrito de forma clara, se possível com materiais visuais que ajudem nisso, como fotos ou vídeos.

A descrição precisa explicar o que falhou, quando falhou, qual foi a falha, como ela ocorreu e quais os impactos dela em curto, médio e longo prazo. Se for um erro novo e desconhecido, é natural que nem todas as perguntas possam ser respondidas de imediato. O importante é fazer a descrição mais clara possível.

2. Hipótese

Depois que o problema está descrito, é hora de gerar hipóteses que possam explicar as suas causas. Cada metodologia de análise utiliza técnicas ligeiramente diferentes para essa etapa, mas o principal é que várias hipóteses são geradas e podem ser avaliadas.

3. Teste

Com base nas hipóteses geradas, é possível tentar reproduzir a falha para observá-la melhor ou, quando isso não é possível, verificar na prática o que poderia ter causado o problema. Os testes precisam ser realizados em um ambiente controlado e, idealmente, em proporções reduzidas, que gerem o mínimo de custo para a empresa.

4. Análise

Após o teste, é provável que pelo menos a dinâmica do que causou a falha possa ser compreendida pela gestão da indústria. Depois disso, é hora de analisar os controles existentes que poderiam ter evitado esse erro e por que eles não funcionaram como deveriam.

A partir dessas informações, é possível aprimorar os controles e, com isso, minimizar outras falhas.

5. Resultados

Uma vez que todas as informações sobre a falha já foram identificadas e analisadas, é hora de tomar nota dos resultados do processo, classificando os erros de acordo com probabilidade, impacto e capacidade de detecção prematura da falha.

A multiplicação desses 3 itens forma o risco da falha.

6. Propostas

Dados não servem para nada se ficarem apenas guardados. Portanto, após a realização da análise, propriamente dita, é importante desenvolver ações preventivas e corretivas que evitarão ao máximo a sua reincidência. Enquanto as ações preventivas visam evitar um novo problema desses, as ações corretivas têm como objetivo a contenção imediata do erro.

Conheça 4 benefícios da análise de falhas em uma indústria de móveis

A análise de falhas é uma ferramenta que pode ser muito útil em qualquer tipo de negócio que envolve uma linha produtiva, como quase todo o setor industrial. Mas, no setor moveleiro, no qual erros de produção saem caro para a empresa, ela é cada vez mais utilizada.

Pensando nisso, descrevemos 4 benefícios da análise de falhas que afetam diretamente quem trabalha com a fabricação de móveis. Confira!

1. Redução no índice de recorrências

Voltar atrás é sempre ruim em qualquer negócio. Se uma falha exige que o produto já vendido retorne à ponta inicial da cadeia produtiva, o custo para isso certamente não será baixo.

Mas com a análise de falhas, o índice de recorrências em uma indústria tende a diminuir, já que a chance de que erros superados se repitam é muito menor. E isso significa menos gastos e mais eficiência nos processos da organização.

2. Proteção para os colaboradores da empresa

Não é só o cliente externo que exige altos padrões de qualidade da empresa. Os seus colaboradores, ou seja, o público interno, também têm boas razões para desejar uma mitigação de erros.

Equívocos na linha produtiva podem não só causar dano aos produtos que passam por lá como também aos operadores dos equipamentos. Se a análise de falhas é realizada com atenção, os danos aos trabalhadores será muito menor.

3. Menos paradas na linha produtiva

A parada na linha produtiva é um pesadelo para qualquer gestor na indústria. Geralmente ocasionada por uma máquina que precisa de manutenção corretiva, a parada significa dinheiro gasto com salários e matérias-primas, e nada retornando em bens de produção.

É quase inevitável que, ao longo do dia, surjam eventos que possam causar paradas na linha produtiva, mas quando é feita uma análise de falhas cautelosa, as ocorrências são bem mais raras.

4. Qualidade final ao cliente aprimorada

E, claro, é importante destacar que, com uma metodologia de análise de falhas, a empresa consegue também entregar um produto melhor para os seus consumidores, evitando que itens defeituosos cheguem nas mãos do público e prejudiquem a credibilidade da organização.

Um controle de qualidade rigoroso é algo básico na indústria, mas é essencial que, cada vez que um problema for encontrado, uma análise de falhas seja realizada para evitar que ele retorne.

E agora que você já conhece mais sobre a análise de falhas e quais são os seus benefícios, que tal assinar nossa newsletter para receber mais conteúdos exclusivos sobre a indústria moveleira? Esperamos por você!

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário