Varejo

7 ferramentas de planejamento estratégico para sua loja

12/11/2018

O planejamento estratégico é um instrumento de gestão que norteia as ações da empresa. Por meio dele, é possível adotar uma série de metodologias e ferramentas que ajudam a definir metas, realizar análises, monitorar resultados etc.

Quer saber mais? Continue a leitura para conhecer 7 estratégias fundamentais para dar suporte ao plano empresarial. Boa leitura!

1. Missão, visão e valores

Essa tríade permite aos gestores planejar estratégias diferenciadas e é o ponto de partida na fase inicial dos negócios. No entanto, precisa ser revisada e validada ao longo do tempo. É fundamental para definir um direcionamento e auxilia o gestor a fazer uma avaliação sobre a função da empresa na sociedade em que está inserida. 

A missão descreve o propósito da empresa, a razão de ela existir. A visão, por sua vez, é o que se espera alcançar. Por isso, quando a empresa conquista um objetivo, a visão deve ser atualizada, sempre buscando o avanço. Por outro lado, os valores são os princípios e crenças que regem as atitudes, comportamentos e decisões das pessoas dentro da empresa. A missão e a visão nunca podem estar acima dos valores.

2. Análise 360º

Também chamada de Análise de Oportunidade, essa ferramenta tem como objetivo auxiliar o gestor a perceber quais ideias são uma boa oportunidade de negócio. Para isso, são realizadas avaliações sobre os aspectos internos e externos da empresa.

  • aspecto interno — mostra a relação entre a ideia e o perfil do empreendedor;
  • aspecto externo — analisa a relação da ideia com o mercado (deve-se pensar como a ideia pode resolver um problema do cliente).

3. Técnica SWOT

SWOT é uma sigla em inglês para Strenghts (Forças), Weakness (Fraquezas), Opportunities (Oportunidades) e Threats (Ameaças). No Brasil, ela também pode ser chamada de Análise FOFA.

Ela ajuda a elaborar um diagnóstico sobre o negócio e o ambiente no qual ele está inserido. Isso é feito por meio da identificação das Forças e Fraquezas (aspectos internos) e Ameaças e Oportunidades (aspectos externos).

Assim, o gestor consegue saber quais pontos demandam atenção e quais podem ser mais explorados para ajudar no alcance de resultados mais satisfatórios. A partir dessa análise, consegue-se:

  • conhecer melhor o cenário empresarial;
  • tomar decisões mais acertadas;
  • antecipar-se a eventos externos (como uma mudança na legislação);
  • apontar planos de ação alternativos;
  • identificar o posicionamento em relação aos concorrentes.

4. Matriz BCG

A matriz BCG é utilizada para analisar o portfólio de produtos (ou serviços) de uma empresa. Ela ajuda a avaliar o ciclo de vendas e, com isso, a melhorar o mix de itens oferecidos. O objetivo é priorizar os que demandam menos recursos, mas que geram mais lucro.

Dessa forma, consegue-se identificar quais produtos vendem muito sem grandes esforços, quais vendem pouco e geram muitos gastos, e assim por diante. Vamos entender melhor!

Vacas leiteiras

São o principal objetivo de um gestor. Representam os itens que geram lucro sem que seja necessário investir muito tempo, dinheiro e esforços nas vendas. São bem-vistos no mercado e têm boa reputação, graças à qualidade.

Estrelas

São aqueles produtos que geram muito lucro, porém, demandam grandes investimentos para que mantenham um bom desempenho nas vendas — ao contrário das vacas leiteiras.

Pontos de interrogação

São produtos que ainda não apresentam números satisfatórios nas vendas, mesmo com grandes investimentos para promovê-los no mercado. Geralmente, são os lançamentos ou inovações da empresa.

Abacaxi

São os produtos que têm uma margem de lucro ou performance de vendas muito ruins. Eles devem passar por uma análise de viabilidade e, caso os investimentos para a recuperação sejam muito altos, é preciso pensar em retirá-los do mercado.

5. Balanced Scorecard

O Balanced Scorecard, ou Indicadores Balanceados de Desempenho (também chamado de BSC) é um método que ajuda na avaliação da performance da empresa por meio de indicadores de desempenho.

Ele está diretamente ligado ao planejamento estratégico do negócio, devido ao fato de se relacionar com quatro aspectos fundamentais:

Para colocá-lo em prática, o gestor precisa definir quais indicadores serão utilizados e quais metas serão determinadas para ajudar a empresa a obter o resultado esperado. Dessa forma, pode-se dizer que o BSC ajuda a encontrar o equilíbrio entre os objetivos internos e externos definidos no planejamento e os objetivos de curto e longo prazo.

6. As 5 forças de Porter

Esse método considera 5 forças que, de acordo com Porter, podem ajudar a determinar o posicionamento da empresa no seu mercado de atuação. Essas forças, teoricamente, não mudam ao longo do tempo e, por isso, contribuem para que o negócio seja sempre avaliado sob os mesmos critérios. São elas:

  • rivalidade entre os concorrentes;
  • ameaça de novos entrantes (mais concorrência);
  • ameaça de novos produtos (ou serviços) no mercado.
  • poder de barganha dos fornecedores;
  • poder de barganha dos clientes;

7. Metas SMART

SMART é uma sigla em inglês para Specific (Específico), Measurable (Mensurável), Attainable (Atingível), Relevant (Relevante) e Time based (Temporal). A ferramenta é muito usada na definição de objetivos. Para entender melhor como ela funciona, vamos a alguns exemplos práticos.

Específico

Como se pode imaginar, trata-se de ser sempre específico no que se deseja conquistar. Deve-se deixar clara qual é a meta, quem são os responsáveis por ela, a que ela se refere, como será alcançada e o motivo de ela existir.

Mensurável

A meta determinada deve ser possível de ser mensurada. É por meio disso que se cria os indicadores que vão ajudar a monitorar os resultados.

Alcançável

É preciso elaborar metas realistas, que são possíveis para o negócio. Definir objetivos acima da capacidade pode gerar frustração para a equipe e levar a um gasto acima do ideal.

Relevante

Aqui, é preciso pensar na importância da meta para a empresa e de que forma ela agrega valor aos resultados. Por isso, é preciso planejar os objetivos de acordo com a realidade do negócio.

Temporal

É muito importante definir a data de início e uma data limite para que a meta seja alcançada.

O planejamento estratégico é fundamental para que as empresas se organizem para alcançar os objetivos de curto, médio e longo prazo. Com o suporte das ferramentas citadas neste artigo, todo o trabalho se torna mais direcionado e um pouco menos complexo.

Se você quer continuar aprendendo sobre como garantir uma gestão de sucesso para a sua loja de móveis, baixe gratuitamente o e-book Como garantir uma gestão de sucesso para a sua loja de móveis!

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário