Passo a passo: como abrir um escritório de design de interiores!

Tempo de leitura: 19 minutos

 

Você sabe quanto custa abrir uma empresa? Tem ideia de como abrir seu próprio negócio? Nos últimos anos, a taxa de empreendedorismo no Brasil foi de 39%, a maior em 14 anos. Isso significa que muitos brasileiros estão correndo atrás do sonho de serem donos de suas próprias empresas. Se você quer abrir um escritório de design de interiores, mercado em franca expansão, precisa começar a se planejar, capitalizar, avaliar fornecedores e buscar parcerias que viabilizem o seu empreendimento.

Neste post, vamos falar sobre como você pode realizar o sonho de ter o próprio negócio, mostrando o passo a passo de como abrir um escritório de design de interiores. Vamos lá?

O que você precisa entender sobre como abrir o seu próprio negócio

De acordo com o Sebrae, 29% das empresas que são abertas no Brasil acabam encerrando suas atividades antes mesmo de completarem um ano de existência. Isso pode acontecer por diversos fatores, mas a falta de planejamento do empreendedor é o mais relevante deles.

Portanto, para abrir o seu escritório de design de interiores, a primeira coisa que você deve fazer é elaborar um plano de negócios. Esse planejamento é importante para que você dimensione o tamanho do seu empreendimento, o quanto vai investir e quais são as atividades necessárias para que a sua empresa prospere.

Veja alguns itens importantes para que você inclua no seu plano de negócios:

  • ramo de atuação: um escritório de design de interiores pode funcionar atendendo a diversos tipos de clientes e em diversos segmentos. Você pode se especializar em projetos ligados a lojas ou empresas. Também pode buscar trabalhar junto a clientes de alta renda, ou mesmo oferecendo projetos para apartamentos menores, ligados a programas do Governo como o Minha Casa, Minha Vida. Essa definição será crucial para os próximos passos;

  • clientes: o seu ramo de atuação definirá como será o perfil do seu cliente em relação à renda, faixa etária, sexo, condição de pagamento, entre outros aspectos;

  • produtos e serviços: é importante que você saiba que tipo de serviço o seu escritório oferecerá, para que você possa avaliar fornecedores que subsidiarão o seu negócio;

  • investimento: é importante que você tenha a exata noção de qual será o seu investimento inicial, considerando também os custos para, pelo menos, os primeiros dois anos de operação do escritório;

  • localização: dependendo do seu perfil de cliente e do seu ramo de atuação, você definirá a localização do seu escritório. Pode ser em um centro urbano, em um shopping de decoração ou em qualquer outro lugar no qual você acredite que seus clientes potenciais estarão. Neste sentido, é muito importante considerar os valores pagos a título de aluguel;

  • funcionários: embora, geralmente, o empreendedor faça um cálculo para que possa trabalhar com apenas o número necessário de funcionários, a verdade é que o empreendimento pode demandar mais mão de obra do que você imaginava. Por isso, é preciso considerar o custo com a gestão de pessoas.

Além desses itens que devem, obrigatoriamente, estar no seu plano de negócios, é importante que haja, inicialmente, um investimento para a contratação de um contador profissional.

Além de cuidar da parte financeira, que será detalhada no próximo tópico, o contador será fundamental para que você não tenha problemas com os aspectos legais da empresa, já que são muitos detalhes para que o empreendedor, sozinho, consiga lidar.

Saiba quanto custa abrir uma empresa

Abrir uma empresa no Brasil não é tão caro e complicado o quanto pode parecer. Se você seguir todos os procedimentos, com a ajuda de um contador profissional, vai ver que a realização do seu sonho de se tornar dono do próprio negócio será mais rápida do que você esperava. Mas quais são os valores a serem investidos? Quanto vai custar a abertura do seu escritório de design de interiores?

É difícil dar uma resposta objetiva a essas perguntas, pois os valores costumam variar, dependendo do local escolhido para a abertura do negócio. Existem impostos que são nacionais, mas também há aqueles estaduais e municipais. Portanto, vamos listar todos os procedimentos necessários aqui neste tópico, para que você busque os valores junto aos órgãos competentes.

Custos Fiscais

De forma geral, existem quatro custos fiscais que são obrigatórios para qualquer um que deseje iniciar um negócio próprio. São eles:

  • DARE – Documento de Arrecadação de Receitas Estaduais;

  • DARF – Documento de Arrecadação de Receitas Federais;

  • Junta Comercial: taxa paga para registrar a empresa;

  • Certificado Digital: exigido para empresas que emitem a nota fiscal eletrônica. Este documento confirma a autenticidade do documento.

O gasto estimado nessa fase inicial é de cerca de 400 reais. Sobre este valor, é necessário considerar os honorários do contador que você contratou para auxiliá-lo.

Capital Social

Qualquer empresa, antes de iniciar suas atividades, precisa declarar o seu capital inicial. Trata-se do valor total que será investido para que a empresa possa se sustentar, antes de começar a faturar.

Esse montante varia de acordo com a empresa e com o porte planejado pelo empreendedor. Neste caso, mais uma vez, torna-se muito importante que você tenha um plano de negócios bem-feito e realista.

Investimento inicial

Para abrir um escritório de design de interiores você precisa planejar o quanto vai gastar para montar o seu espaço de trabalho. Será necessário adquirir mobiliário, softwares especializados, equipamentos, além de um local para funcionar, o que vai envolver custos com reformas, aluguel etc.

Vale lembrar que aluguel da sede é uma das maiores despesas do empreendedor, principalmente no início do negócio, quando os gastos com pessoal ainda não são tão altos. Por isso, é preciso que você aproveite o momento atual, no qual os preços dos aluguéis estão mais baixos, para conseguir uma boa negociação contratual, que não onere demais o seu escritório no início da operação.

Registro de Marca

O seu escritório de design de interiores precisa de uma marca e um nome fantasia. Para evitar cópias e manter a exclusividade da marca do seu negócio, é preciso fazer o registro da sua marca.

Para isso, é bom você procurar uma assessoria de marcas e patentes, que tem todas as condições de cuidar dessa parte. Os custos para se registrar uma marca giram em torno de 2 mil reais, mas ainda é preciso contabilizar os valores pagos à assessoria.

Regime Tributário

O empreendedor não começa a pagar impostos logo que inicia as atividades. Primeiramente, você deve optar pelo regime tributário que mais se adéqua ao seu negócio. São três possibilidades:

  • lucro presumido: a alíquota é de cerca de 3,65% do faturamento, mas é cobrada sobre uma receita presumida. Neste caso, se a margem de lucro for maior, o empresário não paga a mais por isso;

  • lucro real: indicado para empresas com receita bruta de 78 milhões de reais. A tributação é de 9,25% sobre a receita;

  • simples nacional: mais voltado para micro e pequenas empresas com faturamento de até 3,6 milhões de reais por ano. Empresas optantes pelo Simples fazem o recolhimento dos impostos por guia única e possuem vantagens nos critérios de desempate das licitações.

Caso o faturamento anual estimado do seu escritório seja de até 60 mil reais, você deve pesquisar sobre o MEI (Micro Empreendedor Individual). Este programa é interessante pois permite que você abra o seu escritório com uma carga tributária muito pequena e sem nenhuma burocracia.

Nesta parte, a opinião do seu contador é fundamental para que você não erre na definição.

Conheça os processos legais

Feito o orçamento de custos, é hora de reunir a papelada para começar a materializar o seu negócio. Embora haja, de fato, alguma burocracia, não deixe de correr atrás do seu sonho por causa dela. Os procedimentos legais para a abertura da empresa não são tão complicados como parecem. Além disso, com a ajuda do contador, você terá um profissional à disposição para cuidar de todo o processo.

Veja a lista de providências que você precisará tomar:

  • registro da empresa na Junta Comercial, que é o órgão responsável por realizar o registro de atividades ligadas a sociedades empresariais;

  • inscrição na Receita Federal, que será o órgão responsável por emitir o CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica);

  • registrar a empresa na Secretaria de Fazenda Estadual para a contribuição com o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). Cada Estado possui uma regra diferente;

  • inscrição na Prefeitura para que seja emitido o Cadastro de Contribuinte Mobiliário. A regra também varia de acordo com o município;

  • registro na Previdência Social;

  • registro no Sindicato.

Entenda mais sobre como avaliar e escolher fornecedores

Agora que já tratamos dos detalhes formais e burocráticos para que o seu escritório de design de interiores funcione corretamente, é hora de escolher os seus fornecedores.

Como designer, você fornece um serviço de consultoria que prima pela qualidade, usabilidade, acessibilidade, beleza e conforto do ambiente. E para que o seu projeto seja traduzido na prática, para o cliente, é preciso que você saiba muito bem como avaliar fornecedores de móveis, para trabalhar com o que há de mais moderno e funcional no mercado.

Para isso, você deve considerar os seguintes itens:

Estilo

Os fornecedores do seu escritório devem possuir produtos cujo estilo case com os seus projetos. Isso é fundamental para harmonia do ambiente imaginado por você para o seu cliente. Existem empresas especializadas em móveis clássicos, outras trabalham peças com aparência retrô e também há aquelas que seguem uma linha mais moderna e contemporânea.

O importante é que os seus fornecedores possuam variedade e que possibilitem que você faça as escolhas mais adequadas para o ambiente do seu cliente.

Reputação

Infelizmente, existem muitos fornecedores conhecidos por entregar produtos fora do prazo ou nem realizar a entrega pedida. A boa notícia é que, atualmente, não é difícil saber quais são essas empresas. Uma rápida pesquisa na Internet já será capaz de ajudá-lo a saber qual é a reputação dos fornecedores que você está procurando para o seu escritório.

Além disso, um bom benchmarking com outros escritórios pode ajudar a conhecer melhor a fama dos fornecedores do mercado.

Qualidade

Móveis não são itens baratos e, por isso, o cliente exige qualidade antes de fechar o negócio. O seu escritório pode ficar com fama ruim se os móveis comprados pelos seus clientes começarem a apresentar problemas.

Avalie os materiais usados na produção (madeira e tecidos) e não se esqueça de avaliar o conforto oferecido pelos móveis, outro item que conta bastante na avaliação dos clientes.

Beleza e Design

A questão da beleza é subjetiva, mas um escritório de design de interiores precisa ter profissionais com olhar crítico para avaliar o design dos produtos oferecidos pelo fornecedor. Veja se eles estão de acordo com as tendências trabalhadas pelo mercado e se vão atender à expectativa dos seus clientes.

Além disso, é importante que você tenha o hábito de avaliar fornecedores, no mínimo, anualmente. Isso tira os profissionais que fornecem os móveis da zona de conforto e faz com que eles estejam sempre antenados ao que há de melhor no mercado, para atender aos seus clientes.

Outro aspecto importante é a negociação financeira. O fornecimento de produtos é uma parceria que precisa ser boa para você e para o seu fornecedor. Portanto é importante que os preços praticados por ele estejam de acordo com o que você encontra no mercado.

Caso contrário, você pode avaliar a possibilidade de trocar.

Saiba como fazer prospecção de clientes

Muito bem, agora que você já tem seu plano de negócios, já cuidou da parte legal e financeira, é hora de começar a ganhar clientes para o seu escritório de design de interiores.

Prospectar clientes significa ganhar clientes novos, aumentar a sua base atual. Mesmo que você já tenha inaugurado o negócio com uma carteira de clientes, certamente você quer ter mais pessoas contratando seus serviços, não é mesmo?

Só é preciso ter cuidado com o que significa esse ganho de clientes e aumento de carteira. Prospectar clientes não é ganhar qualquer cliente. Se fosse assim, bastava que você fosse para a porta do seu escritório e distribuísse seu portfólio para todos que passassem por você.

Sua empresa tem um público-alvo, ou seja, um perfil mais ou menos definido de pessoas que têm potencial para contratar seus produtos. Esse público-alvo foi definido lá no início, quando você fez o seu plano de negócios.

Portanto, para buscar clientes no mercado é preciso ter foco. Veja algumas dicas de como fazer uma boa prospecção:

Ofereça os seus serviços a quem precisa deles

No seu plano de negócios você definiu o seu segmento de atuação. E é baseado nessa definição que você vai oferecer os serviços do seu escritório.

Um dono de loja, que precisa de um projeto para o interior do seu estabelecimento, é completamente diferente de alguém que tenha comprado um apartamento pequeno e precisa encaixar seus móveis planejados.

Portanto, saiba exatamente qual é o seu público-alvo, antes de oferecer seus serviços.

Tenha um CRM

O CRM (Customer Relationship Management) é um sistema fundamental no gerenciamento de sua carteira de clientes. Por meio dele, é possível cadastrar todos os seus contatos, conhecer as características e preferências de cada cliente e ter um controle de quantos contatos já foram feitos com cada um.

Assim, você consegue ter uma prospecção mais objetiva para o seu escritório.

Não seja apressado

Prospectar não é o mesmo que vender. Muitas vezes, um cliente em potencial pode ir até o seu escritório apenas para conhecer melhor os seus serviços e o estilo de trabalho da sua empresa.

Neste momento, é importante que você não tente transformar o encontro em negócio, pois talvez o cliente não esteja preparado, ou não queira, contratá-lo naquele momento. É possível que ele esteja comparando diversos escritórios para verificar quais foram os melhores orçamentos e o melhor atendimento.

A construção do relacionamento deve ser feita aos poucos, com paciência e sabedoria.

Peça indicações aos atuais clientes

Se o seu escritório já tem uma carteira de clientes, mesmo que pequena, eles podem ajudá-lo a prospectar. Se não existirem indicações espontâneas, crie incentivos para que os clientes atuais divulguem a sua marca. Você pode oferecer descontos, bônus ou qualquer outra vantagem de negócio.

Além de ganhar novos clientes, você ainda fortalece o relacionamento com os atuais.

Esteja presente em feiras e convenções

Feiras de móveis e convenções sobre design de interiores são ótimas formas para se conseguir novos clientes. Além disso, essas ocasiões são excelentes oportunidades para que você conheça melhor o seu mercado e veja quais são as tendências atuais.

Esteja sempre com cartões corporativos do seu escritório para distribuir a quem se interessar.

Guarde contatos

Os contatos obtidos ao longo das prospecções devem ser guardados organizadamente para que você possa conversar novamente com o potencial cliente, caso ele não volte a lhe procurar.

Mas cuidado para não ser insistente, caso contrário você pode parecer invasivo.

Conheça algumas dicas de divulgação para o seu escritório de design de interiores

Há alguns anos, divulgar uma marca na mídia envolvia enormes quantidades de dinheiro. Isso porque os caminhos para se conseguir a divulgação eram poucos: ou por meio da TV, ou jornais ou rádio. Também havia a possibilidade de se contratar outdoors, traseiras de ônibus, mídias de cinema e muitas outras.

Bem, tudo isso ainda está disponível. Mas continuam sendo disponibilizados a preços mais altos. Felizmente, a Internet abriu um mundo de possibilidades para quem é empreendedor e precisa divulgar o seu negócio, mas tem pouco dinheiro para investir.

Além disso, a presença online é fundamental no mercado atual, já que é lá que está a grande maioria dos clientes, navegando em sites, fazendo buscas e utilizando as redes sociais.

Portanto, veja agora como divulgar o seu escritório de design de interiores gastando pouco:

Esteja presente nas redes sociais

Mesmo que você seja totalmente avesso às redes, não pode negar que elas são fundamentais para a divulgação do seu negócio. E não precisa se assustar, pois os anúncios não custam nada perto das mídias tradicionais.

O primeiro passo, é criar um perfil do seu negócio nas principais redes sociais. Não deixe de fora o Facebook, o Twitter e o Linkedin. Como se trata de um escritório de design de interiores, um canal no Pinterest no qual você possa divulgar seus projetos também pode ser interessante.

Faça postagens periódicas, curtas e interessantes sobre o seu ramo de atuação. Todas elas deverão levar o leitor até o seu blog, outro item fundamental para a divulgação do seu escritório.

Tenha um blog com bom conteúdo

Os blogs surgiram como diários online, nos quais os autores apenas despejavam textos sobre diversos assuntos. Hoje em dia, eles são uma excelente ferramenta de divulgação do seu negócio, já que permitem trabalhar textos mais elaborados, que demonstrem a capacidade e o know-how do seu escritório.

Tenha em mente, que o seu blog estará aberto na Internet para qualquer um. Portanto, evite escrever somente pensando em vender seus projetos. O seu blog pode trazer soluções simplificadas para as pessoas, dicas de decoração e formas de posicionamento dos móveis em casa.

Aos poucos, desenvolva alguns conteúdos mais específicos, chamando os clientes para conhecer o seu escritório.

Invista também em e-books com conteúdos mais ricos, nos quais você possa demonstrar o seu trabalho, trazendo credibilidade para o escritório.

Busque parcerias com lojas de móveis

Muitas vezes, quem procura uma loja de móveis não está, inicialmente, pensando em um projeto. Mas você pode pedir que a loja indique o seu escritório para que o cliente conheça os seus serviços e perceba como um projeto pode ser importante para ele.

Se os seus fornecedores possuem lojas físicas, eles podem ser uma ótima fonte de indicações.

Divulgue seus trabalhos realizados

O trabalho realizado pelo seu escritório pode ser um dos principais focos de divulgação dos seus projetos. Para isso, a criação de um canal no Youtube pode ser importante para que você trabalhe o conteúdo na plataforma de vídeos, que tem sido muito utilizada atualmente.

Você também pode pedir autorização para seus clientes para divulgar os projetos realizados para eles, o que dará credibilidade ao conteúdo do vídeo.

Acredite no poder das indicações

O bom atendimento e a prestação adequada de serviços pode gerar uma reputação positiva para o seu escritório, por meio da propaganda boca a boca. Um cliente satisfeito tende a indicar o seu escritório para outros clientes também interessados em um projeto.

São muitos detalhes para se iniciar um negócio, mas se este é o seu sonho, corra atrás! Trabalhar com o que você mais ama, fará total diferença na sua carreira. Além disso, a profissão de designer de interiores vem crescendo muito no mercado atual e você deve aproveitar essa onda para obter ganhos significativos.

Então, mãos à obra. Comece a correr atrás da documentação, contrate um contador e comece a empreender imediatamente. Caso queira saber mais informações sobre este ou outros assuntos relacionados, assine a nossa newsletter e receba conteúdo exclusivo direto no seu e-mail!

 

Sobre Promob

Criada em 1994, a Promob é uma empresa de tecnologia e inovação especializada no desenvolvimento de soluções em softwares.
Atualmente seu portfólio de produtos abrange ferramentas de projeto, fabricação e gestão, incluindo a customização conforme as necessidades de cada cliente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *