Inovação industrial: como transformar a gestão da sua fábrica de móveis

Tempo de leitura: 6 minutos

A inovação industrial não está limitada apenas ao desenvolvimento de tecnologias, produtos e serviços. Na verdade, envolve a criação de novos modelos de gestão, novas formas de atender às demandas do mercado, novas estruturas organizacionais e, claro, novos mecanismos que permitam altos índices de produtividade.

Assim, a inovação industrial faz com que a empresa alcance um padrão de desempenho superior, o que garante maior competitividade perante aos concorrentes. Por isso, deve fazer parte da cultura corporativa e, consequentemente, do planejamento estratégico — orientando a destinação de investimentos e definindo o perfil do público-alvo, por exemplo.

Desse modo, é possível agregar valor ao negócio, evitando a estagnação e, principalmente, a migração dos clientes para outras marcas.

Hoje, já existem diversas práticas que podem ser adotadas por empresários e gestores, com a intenção de conseguir uma administração inovadora. Conheça agora as mais efetivas:

Otimização dos processos internos

A otimização de processos é indispensável para o aumento da eficiência operacional. Por isso, é preciso mapear todos os fluxos e procedimentos internos, com a intenção de localizar e eliminar gargalos de produção, estoques desnecessários e atividades em duplicidade. Com uma análise detalhada, fica mais fácil excluir etapas e baixar os níveis de inventário, o que contribui para a redução de custos.

Correção do layout

A capacidade de produção de uma fábrica está diretamente relacionada ao aproveitamento do tempo, da mão de obra e do espaço disponível. Por isso, é importante contar com um layout industrial inteligente, que evite desperdícios com deslocamentos exagerados. Atenção especial para a disposição de equipamentos e ferramentas, que devem obedecer a sequência natural do processo produtivo.

Também é essencial planejar muito bem as paradas para troca de ferramentas, manutenção preventiva, limpeza e movimentação de materiais, evitando interrupções indesejadas.

Neste contexto, vale a pena citar os cuidados quanto à saúde e segurança dos profissionais, conforme previsto na legislação trabalhista brasileira. A aplicação dos conceitos de ergonomia é uma excelente alternativa para minimizar os casos de doenças ocupacionais e de acidentes de trabalho, reduzindo as taxas de absenteísmo e as despesas com os afastamentos médicos.

Identificação e eliminação de gastos ocultos

Os gastos ocultos estão escondidos na ineficiência da operação, por isso, costuma ser difícil identificar e medir essas perdas. Dentre as mais comuns, estão a indisponibilidade de máquinas, a ociosidade na produção, os retrabalhos, as despesas com planos de telefonia ou internet não adequados à necessidade da empresa e o uso indevido de recursos básicos, como energia elétrica e água.

Então, o controle dos gastos ocultos passa a ser determinante para as finanças e, muitas vezes, as soluções podem ser encontradas por meio de ideias criativas, sugeridas pelos próprios profissionais envolvidos.

Implementação da gestão à vista

A gestão à vista é uma aliada da inovação industrial. Afinal, essa prática visa agilizar a comunicação interna e também pode contribuir para o engajamento dos colaboradores, pois acaba evidenciando o papel de cada equipe no resultado final da empresa.

Em linhas gerais, a gestão à vista leva informações relevantes até o chão de fábrica, permitindo o monitoramento de indicadores de produção e qualidade, além do status de todos projetos em andamento. Com os dados atualizados constantemente, é possível perceber tendências e, assim, tomar decisões mais seguras, evitando prejuízos.

É importante mencionar que a gestão à vista precisa de padrões visuais simples e de fácil entendimento, para que todos os envolvidos possam interpretar corretamente os dados.

Adoção de indicadores como OEE e CEP

O índice OEE (Overall Equipment Effectiveness), proposto na metodologia TPM (Total Productive Maintenance), vem sendo aplicado por diversas empresas que atuam com produção seriada, gerando ganhos significativos nas taxas de produtividade.

Uma grande vantagem do uso do OEE é a divisão em três pilares: disponibilidade, performance e qualidade. Com esse indicador é possível medir a eficiência na utilização dos recursos disponíveis — como máquinas, mão de obra e materiais. Além disso, o OEE oferece a informação em tempo real e permite identificar se o volume produzido é suficiente para atender a programação.

Quando desvios são percebidos, o gestor pode descobrir rapidamente o que está afetando a operação, providenciando os ajustes necessários.

O CEP (Controle Estatístico de Produção) também deve ser utilizado. Na verdade, esse indicador tem como objetivo monitorar todo o processo, medindo a estabilidade e a repetibilidade de cada etapa. Caso seja diagnosticado algum problema, a produção é interrompida imediatamente, para que a falha seja corrigida.

Terceirização de atividades secundárias

A terceirização de atividades secundárias deve ser considerada no planejamento estratégico, com a intenção reduzir custos, mas também, para permitir que equipes e gestores possam estar dedicados exclusivamente ao core business. Assim, é mais fácil fomentar a inovação industrial em todos os níveis hierárquicos.

Os serviços de limpeza e segurança, por exemplo, podem ser realizados por um fornecedor. Além disso, muitas empresas já terceirizaram suas atividades de recrutamento e seleção, treinamento, marketing e até mesmo o call center — contratando agências especializadas.

Investimento em tecnologias de gestão

Os investimentos em tecnologias também são fundamentais para a inovação industrial. Com softwares especialmente desenvolvidos, é possível automatizar determinadas tarefas administrativas, centralizar informações, agilizar os controles internos e, ainda, garantir o cumprimento de obrigações legais e trabalhistas.

Com um sistema de gestão, os empresários podem ter acesso a relatórios gerenciais completos, que reúnem os KPIs (Key Performance Indicators) da produção, mas também, dados financeiros, contábeis e comerciais, além de estoque e faturamento.

Essa visão abrangente embasa a tomada de decisões, que, muitas vezes, envolve a expansão das operações, aportes em infraestrutura e a contratação de novos colaboradores. Além disso, o software de gestão oferece mais segurança, já que documentos e históricos ficam arquivados em formato eletrônico, facilitando a consulta.

Outra vantagem do uso dessas tecnologias está na integração de todos os setores da empresa, descomplicando a comunicação e o fluxo de aprovações. Essa integração é essencial para que todos os membros do time possam compreender quais são as metas e os macro objetivos. Assim, a colaboração e o comprometimento também são favorecidos.

Desse modo, fica claro que a inovação industrial depende de uma série de fatores, que, quando interligados, garantem uma gestão mais sólida e competente. Por isso, é preciso apostar na modernização de processos e de políticas internas, com a intenção de reduzir custos, alavancar os índices de produtividade, mitigar riscos e, também, oferecer condições ideais de trabalho — imprescindíveis para a formação de equipes motivadas e de alto desempenho.

Quer melhorar a gestão da sua fábrica de móveis? Então, baixe agora mesmo o e-book: O guia do controle de produção da sua fábrica de móveis.

Sobre Fábio | Promob

Fábio possui experiência em administração e gestão de fábrica, além de ser colaborador de conteúdo e executivo de relacionamento na Promob.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *