Contrato de marcenaria: saiba como fazer!

Tempo de leitura: 3 minutos

A criação e formalização de um contrato de marcenaria é fundamental para resguardar duas partes — o marceneiro e o cliente —, já que ele especifica todos os detalhes a respeito do serviço, o que não acontece em acordos verbais. Além disso, ele ajuda a garantir que os envolvidos cumprirão com as suas obrigações e possam exigir os seus direitos.

Pensando na importância que o documento possui, resolvemos elaborar o artigo de hoje e explicar quais informações não podem deixar de serem registradas. Quer saber quais são elas e aumentar os seus cuidados na hora de fechar negócio com os seus clientes? Então aproveite e confira agora mesmo!

Detalhamento dos produtos e serviços

Um dos pontos fundamentais de um contrato de marcenaria é detalhar as características dos produtos e serviços que estão sendo adquiridos pelos clientes. Portanto, especifique quais são os itens solicitados, as dimensões e cores, materiais utilizados, acabamento, entre outras informações relevantes.

Além disso, não se esqueça de incluir os serviços que serão prestados, como a entrega e a montagem.

Preços e condições de pagamento

Negocie com o cliente e, quando os valores forem definidos, detalhe-os no contrato. O ideal é que seja listado por produto e que as informações sobre o prazo para pagamento e as condições também sejam incluídas. No caso de parcelamento, vale a pena discriminar como ele será feito, por cartão, boleto, carnê, entre outros.

Características da entrega

Se a sua marcenaria oferece o serviço de entrega e o cliente o solicitou durante a venda, ele também deve ser registrado no contrato. Nesse caso, relate qual foi o endereço solicitado, a data e o horário, se houver. Caso haja a cobrança de frente, ela também deve ser incluída e o cliente deve estar ciente da cobrança extra — caso ela não esteja embutida no preço dos produtos.

Descrição do serviço de montagem

Da mesma forma, se você disponibiliza um serviço de montagem para os clientes, ele também deve ser bem detalhado no contrato. Assim como no caso da entrega, você deve detalhar o endereço, data, horário e a possível cobrança adicional.

Cobranças adicionais

Por falar em cobrança adicional, existe a possibilidade de aplicar multas e juros em caso de descumprimento dos prazos — isso vale não só para o cliente que paga em atraso, mas também para o seu trabalho (na liberação do produto, entrega e montagem).

Além disso, caso o cliente mude o local da entrega e montagem, ou não esteja no local no dia combinado para recebê-lo, também é possível cobrar o deslocamento ou uma nova tentativa, desde que todas essas cláusulas sejam incluídas no contrato.

Registro do contrato de marcenaria

Por fim, para se resguardar de que o contrato realmente terá validade e possa servir em caso de problemas futuros, o ideal é fazer o registro do documento em cartório, com as assinaturas de ambas as partes.

Como você pode ver, o ideal é que o contrato de marcenaria seja o mais detalhado possível, relacionando tudo que foi acordado com o cliente no momento da negociação, além das exceções e os tipos de serviços que não são cobertos, por exemplo. Com a grande quantidade de informações, dificilmente haverá mal-entendidos ou contestações, por exemplo.

Agora aproveite os comentários e conte para nós o que achou do post de hoje! Compartilhe suas opiniões e experiências sobre o assunto!

Sobre Francisco | Promob

Especialista no universo da marcenaria, atua também como executivo de relacionamento e colaborador de conteúdo na Promob. Profissional com experiência no setor moveleiro, projeto de móveis e ambientes internos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *