Como identificar focos de baixa produtividade na sua fábrica de móveis

Tempo de leitura: 7 minutos

A produtividade industrial impacta diretamente na geração de emprego e crescimento econômico de um país. Segundo o ranking do Fórum Econômico Mundial, o Brasil está na 56ª posição no que se refere à produtividade no trabalho, pois seus índices são extremamente inferiores aos países desenvolvidos.

Além de comprometer a estabilidade econômica do país, a baixa produtividade na fábrica gera prejuízos para as corporações e deficiência no cumprimento dos prazos de entrega. Como consequência, a marca perde credibilidade, dinheiro e tem menos chances de expandir os negócios.

Para evitar que esses problemas ocorram, é fundamental entender quais são os focos de baixa produtividade, identificar processos e criar planos de ação para eles. Continue a leitura do post e saiba como melhorar o desempenho da sua companhia!

O que são focos de baixa produtividade industrial?

A baixa produtividade industrial pode ser ocasionada por diversos fatores: humano, maquinário, gestão de pedidos e escassez de uma ordem de produção.

Sendo assim, todas as situações que geram gargalos na produção podem contribuir para a falta de produtividade. Isso compromete a qualidade do produto entregue ao cliente, cumprimento de prazos e lucratividade da companhia.

Como identificá-los na fábrica de móveis?

Os focos de baixa produtividade podem se diferenciar de acordo com o setor em que a empresa atua. Nas indústrias eles demandam ainda mais atenção do empresário, que precisa encontrar soluções para acompanhar os processos sem descuidar da administração do negócio. Confira algumas situações que devem ser consideradas:

Baixa produtividade humana

No fator humano, a falta de conhecimento técnico sobre o produto ou o setor de móveis pode prejudicar consideravelmente a qualidade da produção. Isso ocorre porque falta sensibilidade para perceber defeitos, imperfeições e demais problemas que demandam assistência técnica depois que o produto é montado no cliente.

A falta de controle sobre as atividades desempenhadas por cada colaborador também pode prejudicar os processos de produção. Quando a empresa não possui um OP com apontamentos, o operador se sente livre para utilizar o tempo produtivo em atividades extras como conversas paralelas, uso de celulares e paradas para tomar um café.

Em muitos casos, a distração de funcionários provoca o envio de peças erradas ou a falta de alguns itens, que comprometem o resultado final do projeto. Por isso, é fundamental cuidar do fator humano no processo de produção da fábrica.

Problemas de produção

Há muitas situações que podem gerar deficiências na produção da fábrica. Uma delas é a falta de um processo lógico na confecção dos itens, o que gera transtornos e bagunça na rotina de produção. Por isso, é essencial seguir uma sequência lógica, considerando as seguintes etapas: parque de chapas, seccionadoras, cortes e usinagem, pintura, coladeira de borda, furação, embalagem e envio do produto.

Além disso, os defeitos também podem acontecer. Isso provoca avarias nas entregas e retrabalho, pois o cliente pode solicitar o ajuste de algum item com imperfeição.

Somado a isso, muitas vezes, ocorre a falha na expedição dos pedidos. Nesse caso, muitas fábricas não fazem a conferência dos itens necessários para a conclusão de um trabalho como acessórios, kits de ferragens etc.

A ausência de maquinário também gera atrasos na produção. Por exemplo: setores que possuem apenas um equipamento para executar determinada tarefa estão sujeitos a falhas na entrega, pois se a máquina deixar de funcionar o processo vai parar.

Situações simples do dia a dia podem melhorar a produtividade da empresa. Por exemplo: fazer o aproveitamento do corte para evitar desperdício e um aumento do custo final do produto.

Outra situação que contribui para melhorar a produção industrial é a unificação dos pedidos. Quando isso ocorre, é possível aproveitar os setups das máquinas, otimizar os padrões para corte e dar mais agilidade em todo o processo. Também é fundamental organizar os processos de produção e manter um controle sobre as atividades desempenhadas pelos colaboradores.

Falta de integração entre processos

Os gargalos na produção também ocorrem devido à falta de integração entre processos, ocasionando a perda de tempo e desperdício de matéria-prima.

Para evitar essa situação, deve-se adotar o uso de sistemas ERP. Eles integram os dados do produto como tamanho, furações, quantidade de peças, codificações, entre outros.

Muitas soluções também permitem calcular os custos de maneira correta, pois elas integram dados como aluguel, conta de luz, salários, tempo de uso da máquina, horas de trabalho e desperdícios de matéria-prima ao valor final do produto.

Esses sistemas ERP também permitem controlar as finanças da empresa, pois fazem o monitoramento do fluxo de caixa, previsão de despesas e facilidade para fazer fechamentos e balanços.

Esses softwares ainda possibilitam o controle dos estoques, diminuindo o tempo de reposição dos itens. Ao manter essas situações em ordem, o gestor não sofrerá com a falta de alguma mercadoria para finalizar um produto, garantindo a entrega dentro do prazo.

Sendo assim, um software de gestão para a fábrica permite controlar os pedidos, processos de produção, custo dos produtos e balanço final. Assim, o gestor consegue aperfeiçoar a produtividade industrial e administrar melhor as finanças da empresa.

Como criar planos de ação para combater a baixa produtividade?

Ao identificar os problemas envolvidos na produção industrial, o empresário tem maior controle sobre as operações e atividades desempenhadas pelos colaboradores. Ele ainda pode identificar as melhores práticas adotadas no mercado e implantá-las em sua organização.

Além disso, é recomendável adotar o uso de softwares de gestão para fábrica, pois eles ajudam o gestor a compreender melhor os nichos da empresa e a solucionar problemas pontuais.

Veja algumas situações que podem ser melhoradas:

Política de vendas adequada

É fundamental adotar uma política de vendas alinhada com o mercado. Para isso, é necessário conhecer o preço praticado pelos concorrentes e ajustar os valores cobrados pela corporação.

Nesse sentido, a precificação não pode ficar muito acima da média praticada no mercado, pois isso resultaria em redução da demanda de pedidos. Porém, isso só pode acontecer se o gestor conhecer bem os custos e processos de produção. Sendo assim, ele deve calcular todos os valores envolvidos na atividade, diminuir desperdícios e aumentar a produção por hora de trabalho.

Eficiência da produção

É necessário medir a eficiência das máquinas e dos setores para tomar decisões mais adequadas para a empresa.

Por exemplo: pode-se verificar se a máquina utilizada é eficiente para o trabalho ou se deveria ser trocada por outra mais moderna e rápida. Isso diminuiria o tempo de produção e os custos dos processos.

Em alguns casos, também é possível adequar o uso de determinados materiais para diminuir os custos da produção. Assim, a empresa poderá oferecer móveis de qualidade com preço justo. Para isso, o gestor deve calcular bem os custos, identificar o que compõe cada etapa da produção e fazer as mudanças necessárias.

Portanto, para melhorar a produtividade industrial é imprescindível conhecer as falhas dos processos de produção, gerenciar melhor o estoque e definir as tarefas de cada colaborador. Então, leia o nosso e-book e aprenda como potencializar os resultados da sua empresa!

Sobre Fábio | Promob

Esta área é reservada para a biografia do autor e deve ser inserida para cada autor a partir da seção Informações biográficas, no painel administrativo. Caso deseje incluir links para as redes sociais de cada autor do site, recomendamos que instale o plugin WordPress SEO. Após instalado, o plugin criará os respectivos campos para links das principais redes sociais (Facebook, Google Plus e Twitter). Após preenchidos os campos, os links de cada rede aparecerão automaticamente aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *